Português admite ter estrangulado enteada espanhola


Um homem português, acusado de homicídio da enteada, no arquipélago espanhol das Canárias, admitiu o crime, confessando em tribunal que estrangulou a vítima e enterrou o corpo, em declarações que marcaram o arranque do seu julgamento.

Antonio Luis Ferreira Machado, 40 anos, é acusado de ter estrangulado a enteada, Yuliza Pérez, de 18 anos, tendo esta segunda-feira, e num interrogatório marcado por várias contradições, admitido que agarrou a vítima “pelo pescoço”, apertando “um pouco” até que esta perdeu a consciência.

O Ministério Público pede para Ferreira Machado uma pena de 20 anos de cadeia e uma indemnização de 120 mil euros para Hilma Altagracia, mãe da jovem assassinada.

No seu depoimento no tribunal, o homem disse que a discussão com a enteada, que precedeu o crime, se deveu à oposição deste a que a jovem continuasse ligada às Testemunhas de Jeová.

Descrevendo o que ocorreu, a 7 de Novembro de 2007, o homem explicou que depois de estrangular a jovem a deixou no chão, saindo de casa e regressando depois, tendo transportado o corpo para o carro.

Explicou que não sabia se estava morta, mas que acabou por a enterrar, afirmando negar que lhe tenha tirado a roupa e a carteira e atado os braços e pernas, situação em que o corpo foi encontrado.

Na sessão desta segunda-feira, a primeira do julgamento, admitiu parte do que a acusação considera ser uma obsessão do arguido com a vítima, que este definiu como “bonita”, recusando porém que a controlasse.

A própria defesa pede para o arguido uma pena de cinco anos de cadeia, por homicídio com o atenuante de “obsessão”.

O arguido admitiu que depois de enterrar o corpo participou nas operações de busca da jovem, tendo fugido de casa depois do corpo ser encontrado e se saber que havia provas de ADN que o envolviam no crime.

A acusação particular no processo, que representa a mãe da vítima, descreve o homem como “um autêntico cínico”, pedindo a pena máxima para o crime.

Recorde-se que o homem foi detido no dia 10 de Abril do ano passado, meses depois do corpo ter sido encontrado.

A acusação sustenta que Ferreira Machado estava “obcecado” com Yuliza, um comportamento que já tinha manifestado perante outras jovens da mesma idade.

Critica ainda a “frialdade com que agiu e continua a agir” pelo que “é merecedor do maior castigo que lhe possa ser dado”. O acusado “não deu a mínima oportunidade à vítima de se defender”.

Link original: http://diario.iol.pt/sociedade/portugues-homicidio-estrangulamento-enteada-espanha-tvi24/1058394-4071.html

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: