Justiça autoriza transfusão em testemunha de Jeová


Juiz da 2ª Vara Cível de Rio Preto autoriza, por meio de liminar, equipe média do HB aplicar sangue em homem de 86 anos, que é testemunha de Jeová, mesmo sem aval do paciente e da família

Ademir Terradas
Agência BOM DIA

O Hospital de Base de Rio Preto conseguiu na Justiça liminar que autoriza equipe médica a realizar transfusão de sangue em um paciente de 86 anos que é Testemunha de Jeová. A liminar foi concedida pelo juiz da 2ª Vara Cível de Rio Preto, Paulo Marques Vieira. No despacho, o juiz determina que “se faça a transfusão, mesmo havendo discordância dele ou de seus familiares”.

De acordo com a doutrina seguida pelas Testemunhas de Jeová, a lei de Deus proíbe que o fiel receba sangue de outras pessoas, sob pena de perder a salvação do seu espírito. Em nota, o Hospital de Base informou nesta quarta-feira (02) que o paciente, que está internado na UTI, sofreu uma hemorragia no estômago e precisa da transfusão. O paciente está em tratamento há 40 anos por causa de uma úlcera e sofre de problemas cardíacos.

Segundo informou um representante das Testemunhas de Jeová em Rio Preto, o paciente foi operado no mês passado para conter a hemorragia e seu caso teria se agravado por causa de uma infecção hospitalar.

“A família e o paciente manifestaram, desde a primeira internação, que não querem a realização da transfusão. Por isso, a cirurgia foi feita sem reposição de sangue”, afirma Jefferson Liebana, ancião das Testemunhas de Jeová do salão [igreja] do bairro Boa Vista. Jefferson é membro da Colh (Comissão de Ligação com Hospitais), grupo das Testemunhas de Jeová que acompanha casos como esse.

Jefferson Liebana, ancião de Salão de Testemunhas de Jeová que funciona no bairro Boa Vista. Ele defende que vontade da família seja respeitada em casos onde os médicos decidem pela transfusão

Jefferson Liebana, ancião de Salão de Testemunhas de Jeová que funciona no bairro Boa Vista. Ele defende que vontade da família seja respeitada em casos onde os médicos decidem pela transfusão

No pedido enviado à Justiça, o HB informou que a transfusão é o único procedimento possível para salvar a vida do paciente. Duas filhas do aposentado, que é de José Bonifácio, se revezam como acompanhantes do pai para evitar que o procedimento seja realizado. “Desde o início, as filhas pediram para o médico iniciar tratamento com eritropoetina [leia quadro ], mas eles se negaram’, diz Jefferson

O HB informou nesta quarta-feira (02) que, mesmo com o aval da Justiça, o procedimento ainda não foi realizado porque “a equipe está estudando detalhes do caso”.

Outras religiões aceitam o procedimento
Católicos, evangélicos e espíritas se dizem a favor de procedimento para salvar vidas; Testemunhas de Jeová falam em tratamentos alternativos

As Testemunhas de Jeová são a única denominação cristã, entre as mais tradicionais, que condena a transfusão de sangue.

Na região de Rio Preto, são pelo menos três mil testemunhas de Jeová praticantes.

Para acompanhar casos como o do aposentado internado na UTI do Hospital de Base, membros da religião criaram a Colh (Comissão de Ligação com os Hospitais).

Integrantes da comissão visitam hospitais em todo o país, expondo a posição dos fiéis e cadastrando cirugiões que operam pacientes sem reposição de sangue.

“Existe uma lista sigilosa que nós oferecemos aos fiéis. Quando o médico se recusa a operar sem transfusão, nós fornecemos os contatos dos que fazem”, afirma Jefferson Liebana que é ancião [sacerdote] e membro da Colh.

Segundo ele, muitos métodos para evitar a transfusão de sangue já foram desenvolvidos para atender a Testemunhas de Jeová, como a hemodiluisão.

Nesse processo, o paciente recebe grande quantidade de soro para dissolver o sangue e, assim, perder menos plaquetas durante cirurgias.

“Não queremos nos tornar mártires, nem somos suicídas, apenas temos a convicção de obedecer às leis de Deus”, argumenta Jefferson.

Outras religiões / Enquanto as Testemunhas de Jeová se recusam a receber sangue de outras pessoas, denominações evangélicas e a Igreja Católica não veem problemas.

No ano passado, a Diocese de Rio Preto promoveu o “Dia Diocesano de Incentivo à Doação de Sangue”, realizado na Sexta-feira Santa.

“Não há nada na lei de Deus que proíba a pessoa de ajudar o próximo e doar sangue é um ato de caridade”, disse nesta quarta-feira (02) o bispo da Diocese de Rio Preto, dom Paulo Mendes Peixoto.

Quem também não vê problemas em receber transfusão de sangue é o superintendente da regional 2 da Igreja do Evangelho Quadrangular, Claudio de Oliveira.

“A Bíblia diz que a condenação está em consumir o sangue como alimento e não quando é usado em um tratamento” diz.

Para a advogada Sandra Zonari, 42, que é voluntária no Hospital Bezerra de Menezes e espírita kardecista, nenhum procedimento médico deve ser condenado pela fé.

“Todos os procedimentos médicos existentes para salvar a vida de uma pessoa devem ser usados. Não entendemos a transfusão como algo ruim para a espiritualidade”, afirma Sandra.

Outro caso
Em março do ano passado, o Hospital Austa conseguiu na Justiça autorização para fazer transfusão de sangue em um recém-nascido de 14 dias que tinha dificuldades para respirar. O procedimento foi realizado contra a vontade da família, que é Testemunha de Jeová.

Frequentes
Casos como esses não são tão raros quanto se imagina. Em 2002, o Austa teve de procurar a Justiça para fazer transfusão de sangue em outro bebê cuja família também era Testemunha de Jeová. O caso do aposentado de José Bonifácio é o quarto em que o Hospital de Base precisou ir à Justiça para autorizar a transfusão.

...

...

Link original: http://www.redebomdia.com.br/Noticias/Dia-a-dia/47137/justica+autoriza+transfusao+em+testemunha+de+jeova/

 

2 responses to this post.

  1. nos acreditamos que a liberdade de aceitar um tratamento está na constituição brasileira que cada um melhor do que ninguem sabe o que e melhor pra si em todos os sentidos.

    Curtir

  2. Posted by Joice Bezerra on 03/03/2011 at 14:58:08

    Em que pese notável saber do Dr. Neimar Leonardo, como Advogada, peço vênia para discordar. Todos os princípios dispostos na Constituição Federal têm o mesmo peso.O direito à vida inclui o Princípio da Dignidade da pessoa humana, e, inserido neste está a possibilidade de se requerer um tratamento alternativo, a escolha é do paciente, e não de uma equipe médica.

    No passado (Egito antigo), acreditava-se que os excrementos eram sagrados e por isso, continham dons curáveis. Já naquele tempo, hebreus servos de Jeová obedeciam leis para se afastarem de excrementos e do sangue. Atualmente conhecemos as inúmeras doenças letais que estão ligadas à falta de higiene e, principalmente, excrementos. E também faz parte de nosso conhecimento a quantidade de doenças que são transmissíveis pelo sangue.

    Assim, a postura contra o uso do sangue, obedecida pelas Testemunhas de Jeová, é obediência e sujeição a uma medida protetiva da parte de Deus, e não demorará muito para se descobrir que, assim como excrementos são prejudiciais à saúde por serem condutores de doenças, o sangue também o é. Basta um pouco de pesquisa(e boa vontade), para que ninguém mais precise utilizar sangue como forma de tratamento. Ressalte-se que à época do Egito antigo, muito provavelmente, aqueles também acreditavam que os hebreus poderiam morrer se não utilizassem os excrementos como tratamento medicinal. Em breve, descobrir-se-á que não se trata de uma discussão de religião e medicina, e sim de acatar as orientações divinas de Jeová de se viver bem, da melhor forma possível.

    Retirei o seguinte trecho, orientado por pessoa não Testemunha de Jeová, vejam:

    “Importante:
    Muitas doenças graves como hepatite e SIDA podem ser transmitidas com o contacto sanguíneo direto. No caso de uma transfusão é necessário averiguar que o sangue seja imune a estas doenças. Na maioria dos países desenvolvidos este controlo é realizado de maneira sistemática. Um veículo para as doenças que se transmitem através do sangue podem ser as seringas contaminadas. É por esta razão que nos países desenvolvidos usam-se somente seringas descartáveis.
    Nos países mais pobres, por falta de recursos, as seringas são reaproveitadas e a esterilização nem sempre é cuidadosa. É necessário, portanto, ter muito cuidado na hora de tomar uma injeção ou de fazer uma transfusão se se está a viajar no exterior. Se tiver alguma dúvida a respeito do sangue ou da seringa a serem utilizados, é melhor recusar o tratamento (…) (fonte: http://km-stressnet.blogspot.com/2007/06/sangue-exames-e-principais-doenas.html)”

    Analisem a conclusão: “É MELHOR RECUSAR O TRATAMENTO”.

    O que você faria se te oferecessem urina de vaca para salvar sua vida?

    “Em termos de culto, a vaca é mais “pura” do que o brâmane. Assim, a pessoa que toca uma vaca está ritualmente limpa. Todos os produtos derivados da vaca – o leite e a manteiga – são utilizados em diversas cerimônias de purificação. Até mesmo o excremento e a urina da vaca são tão sagrados que podem ser usados como agentes de purificação.” (fonte: http://www.arturbruno.com.br/cursos/texto.asp?id=1533 )

    Atente-se: até hoje os excrementos da vaca são tidos como sagrados. É uma questão de cultura ou higiene?

    Fontes:

    Bíblia Sagrada – Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas: Deuteronômio 23:13 – além das citadas no artigo

    CF – art. 5º, caput cc art. 1º, inciso III (a dignidade é o valor moral, social e espiritual da pessoa)

    sítios eletrônicos:

    http://km-stressnet.blogspot.com/2007/06/sangue-exames-e-principais-doenas.html
    http://www.arturbruno.com.br/cursos/texto.asp?id=1533

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: