Archive for the ‘Exército’ Category

Alistamento militar vai até dia 30 de junho


Jovens brasileiros do sexo masculino que residam em Várzea Grande com 18 anos completos em 2017 devem se apresentar à Junta de Serviço Militar (JSM) do município até o dia 30 de junho. Vale ressaltar que os alistados no segundo semestre, irão se apresentar na comissão de seleção do próximo ano apenas.

A Junta de Serviço Militar de Várzea Grande está localizada na Avenida da FEB,nº 2.051, sede da secretaria Municipal de Defesa Social. Além do prazo para alistamento ser até o dia 30 de junho, o mesmo pode ser feito pela internet no sitio do Ministério da Defesa. “O alistamento é obrigatório e, sem ele, o rapaz fica impedido de tirar passaporte, ingressar no serviço público ou ser matriculado em qualquer instituição de ensino – inclusive universidades. Também, está previsto pagamento de multa, que varia de acordo com a quantidade de dias em que o candidato deixa de se alistar”, alerta o coordenador da junta de serviço Militar do município, Gonçalo Ciríaco da Costa Filho.

Anualmente, cerca de 1,8 milhão de jovens fazem o alistamento militar e aproximadamente 100 mil são incorporados às Forças Armadas. Este ano a junta alistou até agora em Várzea Grande 816 jovens e no ano passado foram alistados 2.429. “O alistamento é a primeira etapa do serviço militar obrigatório. A segunda etapa é a convocação das Forças Armadas, que ocorre no ano seguinte ao do alistamento. O serviço militar inicial tem duração de 12 meses e pode ser reduzido por dois meses ou prorrogado por até seis meses”, explica o coordenador.

De acordo com a existência de vagas nas diversas organizações militares, uma parcela dos jovens que concluem o serviço militar inicial pode permanecer no serviço militar voluntário como soldado. Durante essa permanência, há a possibilidade de realizar curso para promoção a cabo. De acordo com o coordenador da junta de serviço Militar do município, Gonçalo Ciríaco da Costa Filho, na Junta além do alistamento, também é fornecido o certificado de reservista de 1ª e 2ª categoria para os jovens que são incorporados às Forças Armadas, o certificado de dispensa de incorporação para os que nasceram entre o ano de 1971 a 1988 e que nunca se alistaram, o certificado de isenção do serviço militar para quem tiver deficiência física, mental, auditiva e visual e apresentar atestado médico, e ainda o certificado de dispensa do serviço militar obrigatório para quem for membro da religião Testemunha de Jeová.

Segundo o coordenador da Junta, para quem possui mais de quarenta e seis anos e nunca se alistou, é fornecido o atestado de desobrigação militar. O coordenador revela ainda que entre os meses de setembro e outubro de cada ano, ocorre o processo de seleção na 13ª Brigada de Infantaria Motorizada e nos meses de janeiro e fevereiro de todos os anos ocorre a designação para o serviço militar obrigatório, a majoração e o excesso de contingente no 44º(BIMTz), o 9º BEC e a 13ª Brigada, em Cuiabá.

Documentos Exigidos – Os documentos necessários para efetivação do alistamento são certidão de nascimento ou equivalente (carteiras de identidade, de motorista ou de trabalho), comprovante de residência e uma foto 3×4 recente. Após o alistamento, o jovem recebe o certificado de alistamento militar (CAM) e a data de retorno à junta de serviço militar, para que possa tomar conhecimento quanto à apresentação na seleção geral ou à dispensa do serviço militar.

Link original: http://www.folhamax.com.br/cidades/alistamento-militar-vai-ate-dia-30-de-junho/119504

Ordens do CEDH para compensar as Testemunhas de Jeová que se recusaram a prestar serviço militar (EN)


© RIA Novosti, Oleg Yefrosinin

© RIA Novosti, Oleg Yefrosinin

MOSCOU, 27 de novembro -. RAPSI O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (CEDH), concedeu a várias testemunhas de Jeová locais, 124 mil euros de indenização por parte do governo armênio. Os indivíduos apresentaram uma queixa em relação à legalidade de ser preso por evasão do serviço militar ou alternativo.

Dezenove requerentes apresentaram a queixa em questão ao tribunal. Eles alegaram que, em 2004, eles usaram uma lei permitindo que os cidadãos armênios prestassem serviço alternativo em hospitais, casas de repouso ou clínicas especializadas. Mas em 2005, os réus foram notificados pelos administradores destas instalações que se recusaram a cumprir as suas obrigações.

Os réus justificaram a sua recusa, alegando que este serviço alternativo era de fato subordiná-los ao Ministério da Defesa, e, portanto, eles estavam em membros fato das forças armadas. Uma vez que este contradizia suas crenças, eles pararam de servir. Casos criminais foram iniciadas contra cada um dos acusados, e eles foram levados em custódia.

Eventualmente, os casos criminais foram demitidos, mas os réus ainda com uma queixa junto do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (CEDH) com base na ilegalidade da sua detenção.

O tribunal, por unanimidade lado dos acusados, e considerou que o governo deve compensar os reclamantes no prazo de três meses.

Link Original (em inglês): http://rapsinews.com/judicial_news/20121127/265546148.html

Jovens Cristãos presos por confessar a Fé em Jesus são ridicularizados na Eritreia-Leia e Ore


...

A Eritreia é um país onde a maioria são seguidores da religião muçulmana e tem agido duramente contra os que confessa ser cristão, fato esse que leva o país estar entre os que mais perseguem a igreja do Senhor no mundo.-Confira e ore por estes irmãos…

Por causa de sua fé em Cristo Jesus, 17 jovens foram presos e impedidos de receber comida e medicamentos. A Eritreia é um país da África, que faz fronteira com o Sudão em que, por força de lei, todas as igrejas evangélicas estão fechadas desde 2002

No último domingo (5), a Polícia Secreta da Eritreia prendeu um grupo de 17 cristãos na cidade de Keren, local de dominação muçulmana. Todos estavam reunidos na casa de um dos jovens que foi levado; a prisão aconteceu, aproximadamente, às 19h30.

...

As sete mulheres e dez homens foram forçados a caminhar até a delegacia. Todo o percurso, percorrido a pé, durou cerca de 45 minutos e foi feito pelas vias que levavam ao centro da cidade. O clima estava quente e abafado e grande parte da população estava às ruas. Assim, muitas pessoas presenciaram a peregrinação. Testemunhas afirmaram que os jovens, em sua maioria com idade para o alistamento militar, eram ridicularizados, enquanto seguiam adiante.

Em Eritreia, as famílias são responsáveis pela alimentação dos prisioneiros. Porém, os cristãos foram proibidos de receberem visitas de familiares ou amigos, o que indica que eles não receberam comida e remédios por, pelo menos, três dias.

Os irmãos desse país têm pedido o apoio e as orações da comunidade cristã em favor desses jovens que padecem sofrimentos e perseguição por amor a Cristo.

Situação Atual

A Portas Abertas foi informada que os 17 presos foram transferidos para um campo de treinamento militar em Aderset, na região oeste da cidade. Esse local é conhecido por suas condições de prisão bastante severas. Prisioneiros lá são mantidos em calabouços e obrigados a realizar trabalhos forçados. A localização afastada do campo também torna extremamente difícil para que amigos e familiares os visitem a fim de fornecer comida extra ou remédios. Há indícios, ainda, que uma das mulheres do grupo esteja doente, porém seu diagnóstico permanece incerto.

Assista vídeo do relato mais conhecido sobre perseguição na Eritreia que teve repercussão internacional e conheça o país. – Comente….

Link original: http://www.odiario.com/blogs/inforgospel/2012/08/09/jovens-cristaos-presos-por-confessar-a-fe-em-jesus-sao-ridicularizados-na-eritreia-leia-e-ore/

TURQUEMENISTÃO – Ashgabat: Nenhuma anistia para os Testemunhas de Jeová (EN)


...

...

O presidente do Turcomenistão concedeu uma anistia este mês, mas não incluem aqueles que recusam o serviço militar obrigatório em razão da objeção de consciência, como Testemunhas de Jeová. Este último tem dois anos de trabalhos forçados e teve sua Bíblia apreendidos.

Ashgabat (AsiaNews/F18) – Recusando-se a cumprir o serviço militar obrigatório em razão da objeção de consciência é tão grave um crime que os infratores no Turcomenistão não merecem anistia. Atualmente, as Testemunhas de Jeová cinco estão definhando na cadeia e isto por vários meses, devido à sua recusa a usar uniforme e quatro deles até ganhou um mês de confinamento solitário.

O Presidente do Turcomenistão Gurbanguly Berdymukhammedov emitiu uma anistia geral em 09 de maio para comemorar o fim da Primeira Guerra Mundial 2. Um número de Testemunhas de Jeová, sentenciado em dezembro passado a dois anos de prisão, não foram incluídos entre aqueles que se beneficiaram da medida, os amigos disseram a agência de notícias Forum 18.

F18 disse que cinco das Testemunhas de Jeová presos de consciência estão em um campo de trabalhos forçados, perto da cidade oriental de Seydi

Em novembro e dezembro do ano passado, quatro deles, Shadurdi Ushotov, Akmurat Egendurdiev e dois irmãos, e Sakhetmurad Mukhammedmurad Annamamedov foram visitadas por funcionários não identificados, que lhes pediu a algumas perguntas. Imediatamente depois, eles foram enviados para celas de castigo por três dias.

Enquanto os parentes podem visitá-los, eles tinham todas as suas Bíblias e outros textos religiosos apreendidos pela polícia.

Duas outras testemunhas, Zafar e Abullaev Dovrai Kushmanov, foi dado um ano com a pena suspensa por dois a objecção de consciência, o que limita suas atividades e movimentos. Eles também não se beneficiar da anistia.

Testemunhas de Jeová recusam o serviço militar, porque a sua fé rejeita a guerra. No entanto, eles estão dispostos a realizar um serviço não-militar.

O Turquemenistão sempre rejeitou convites à apresentação de uma alternativa ao projecto, que é obrigatória para todos os homens jovens.

Artigo 219 º do actual Código Penal pune a recusa em cumprir o serviço militar em tempos de paz, com até dois anos de prisão.

Em 10 de Maio, o Parlamento do Turcomenistão (Mejlis) aprovou uma série de alterações ao Código Penal, mas deixou intacto o artigo 219.

Link original: http://www.asianews.it/news-en/Ashgabat:-no-amnesty-for-Jehovah%E2%80%99s-Witnesses-18538.html

Jovem bielorrusso deve pagar por sua fé (EN)


...

...

Gomel, Belarus, “Eu tento ser fiel à Bíblia em todos os aspectos da minha vida e seguir os ensinamentos que ele contém. Para mim, isso inclui acreditar que uma pessoa não deve ser treinado ou para participar na guerra “, afirmou Dmitry Smyk, que é uma das Testemunhas de Jeová. Segundo a Constituição Belarus, todos os cidadãos têm o direito de escolher o serviço civil alternativo ou o serviço militar.

Apesar deste direito constitucional, a 6 de novembro de 2009, o Tsentralniy Tribunal Distrital da cidade de Gomel, multado Smyk a soma de 3.500.000 rublos (aproximadamente US $ 1.295) para recusar o serviço militar por causa de suas convicções religiosas. Em 9 de dezembro de 2009, o Tribunal Regional de Gomel confirmou esta decisão, e em 22 de janeiro de 2010, o presidente do Tribunal de Justiça do Distrito Gomel, afirmou a decisão do tribunal inferior. Smyk reação foi: “Parece que no papel eu tenho o direito a um serviço civil alternativo, mas na realidade eu não posso exercê-lo.”

A estação de recrutamento militar e do escritório do promotor por unanimidade, declarou que na República de Belarus não existe um serviço alternativo. O Coronel V. Tsatsarin explicou ao tribunal que, no decreto presidencial de Seleção para o seguro obrigatório [militar] Service, a opção para o serviço civil alternativo não é mencionado. “O decreto tem força legal. Nem nós nem a Câmara projecto pode violar a lei “, disse o coronel.

Como observou o representante do Comité de Helsínquia, da Bielorrússia, V. Odinochenko, que estava presente na audiência judicial: “Eles [as Testemunhas de Jeová] não servir no exército. Eles não servem mesmo na União Soviética, quando não havia punição severa para isso. Eles também se recusam a servir no exército agora. “Ao mesmo tempo, o artigo 57 da Constituição da Belarus proporciona a cada cidadão o direito de escolher entre o serviço civil alternativo eo serviço militar. Todos os direitos garantidos pela Constituição deveria ter sido implementada no prazo de dois anos após a adopção de 1994. No entanto, quase 16 anos se passaram desde a aprovação da Constituição, e ainda não há lei para a implementação do serviço civil alternativo.

Link original: http://www.tdgnews.it/en/?p=1924