Archive for the ‘Publicações’ Category

Rússia suspende Testemunhas de Jeová por ‘Literatura Extremista’ (Inglês)


O maior grupo de testemunhas de Jeová da Rússia foi suspenso depois que o Ministério da Justiça do país afirmou que suas atividades “violam a lei russa sobre o combate ao extremismo”.

O Centro Administrativo das Testemunhas de Jeová na Rússia, que tem cerca de 175 mil membros, entrou em conflito com especialistas legais do estado russos no início desta semana por difundir o que o ministério considerava “literatura extremista”.

Um dos panfletos em questão inclui uma citação do romancista Léon Tolstoi, referindo-se à Igreja Ortodoxa russa como superstição e feitiçaria, relata a BBC .

O grupo também se opõe ao serviço militar, que ainda é obrigatório na Rússia.

Um tribunal de Moscou advertiu as Testemunhas de Jeová na Rússia para suspenderem as atividades no ano passado, afirmando que a falta de cumprimento poderia levar à suspensão.

Em abril, a Suprema Corte da Rússia vai ouvir o pedido do Ministério da Justiça de fechar as sedes das Testemunhas de Jeová no país e proibir sua atividade, informam a Reuters.

Link original: http://www.newsweek.com/russia-suspends-jehovahs-witnesses-extremism-573536

Governo russo apresenta processo contra as Testemunhas de Jeová para declará-los um grupo extremista (EUA)


Mais de 170.000 pessoas na Rússia correm o risco de serem processadas criminalmente por ler a Bíblia juntos ou conversar com outras pessoas sobre sua fé

 Pilhas de folhetos distribuídos pelo líder local de uma congregação das Testemunhas de Jeová Alexander Kalistratov. Ele foi condenado a dois anos de prisão por um tribunal russo de incitar o ódio religioso por distribuir literatura sobre suas crenças. Reuters Pilhas de folhetos distribuídos pelo líder local de uma congregação das Testemunhas de Jeová Alexander Kalistratov. Ele foi condenado a dois anos de prisão por um tribunal russo de incitar o ódio religioso por distribuir literatura sobre suas crenças. Reuters

As Testemunhas de Jeová devem ser declaradas uma organização extremista, de acordo com o Ministério da Justiça da Rússia, que pediu ao Tribunal Supremo do país que “bani-lo e liquidá-lo”.

A apresentação legal é colocada no site do tribunal, embora não seja dada data para a ação legal.

As Testemunhas de Jeová disseram que receberam garantias do ministério de que não iriam prosseguir com a ação judicial, alegando que o movimento seria “um ataque à sua adoração”, o que poderia ter “conseqüências terríveis” para sua congregação no país.

Eles fizeram a reivindicação em um comunicado divulgado de seu centro administrativo cerca de 25 quilômetros a noroeste de São Petersburgo.

No entanto, se o tribunal os declarar “extremistas”, o grupo disse que mais de 170.000 Testemunhas de Jeová em mais de 2.200 congregações na Rússia poderiam ser processadas criminalmente por reunião para adoração,

Lendo a Bíblia juntos ou conversando com outros sobre sua fé pode levar a acusações, eles acrescentaram. As propriedades dedicadas ao culto e quase 400 pessoas jurídicas também poderiam ser dissolvidas, disseram.

Vasiliy Kalin, um representante para o grupo russo, disse: “O profundo desejo de cada uma das Testemunhas de Jeová na Rússia é apenas para poder adorar o nosso Deus pacificamente. Por mais de 100 anos, as autoridades russas pisotearam as garantias de suas próprias leis, o que nos concede esse direito.

“Eu era apenas um menino quando Stalin exilou minha família para a Sibéria apenas porque éramos Testemunhas de Jeová. É triste e repreensível que meus filhos e netos estejam enfrentando um destino semelhante. Nunca esperava que voltássemos a enfrentar a ameaça de perseguição religiosa na Rússia moderna “.

As autoridades russas ameaçaram fechar o centro administrativo das Testemunhas de Jeová em março passado, quando emitiram uma advertência formal à congregação de que a “associação religiosa estará sujeita à liquidação” se não conseguir eliminar dentro de dois meses as violações identificadas pelo governo como “extremistas” .

Em fevereiro, o Ministério Público Geral solicitou uma auditoria do centro administrativo do grupo religioso e 73 mil documentos foram entregues para inspeção, de acordo com o Centro Sova de Informação e Análise da Rússia , que monitora os crimes de ódio e a aplicação de leis anti-extremistas.

As Testemunhas de Jeová registraram-se pela primeira vez como um grupo religioso na Rússia em 1991 e foram novamente registradas em 1999.

Eles foram processados ​​repetidamente na Rússia, mas durante a última década, eles foram alvo do endurecimento das restrições às suas liberdades religiosas.

Vários avisos foram emitidos para o centro administrativo dos grupos religiosos, que está localizado a 40 km ao norte de São Petersburgo, na aldeia de Solnechnoye, acusando-a de ilegal.

Em 2006, a Rússia mudou sua definição legal de “extremismo”, removendo o elemento de violência ou ódio, mas afirmando que o “incitamento de … discórdia religiosa” como critério. Isso significa que as Testemunhas de Jeová têm o mesmo status legal que Isis .

Há dois anos, o governo proibiu seu site internacional porque o considerava “extremista” e um ano depois impediu que as Bíblias publicadas pelo grupo religioso entrassem na Rússia.

Em 2010, o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem considerou uma decisão de um tribunal russo proibir a organização de “ilegal”.

Link original: http://www.independent.co.uk/news/world/europe/russian-government-jehovahs-witnesses-extremist-group-lawsuit-supreme-court-a7634671.html

Biblioteca sagrada


Feliz - Davi pede toda noite para ler

Feliz – Davi pede toda noite para ler “Meu Livro de Histórias Bíblicas”

Se Lucas aprendeu sobre a morte e, aos 8 anos, consolou seus pais a partir do que entendeu sobre a vida eterna com o “Bhagavad-Gita para Crianças”, Davi – que só completa 5 anos daqui a dois meses – pôde tranquilizar sua turma de escola num dia de tempestade com o que absorveu do “Meu Livro de Histórias Bíblicas” (ed. Torre de Vigia, 2006). “Por causa da chuva forte, as crianças começaram a chorar com medo e o Davi, então, disse que elas não precisavam se preocupar porque foi Jeová quem mandou a chuva para o bem dos homens”, conta Porfírio Santos, pai de Davi e Testemunha de Jeová. “Ele adora o livro e sempre me pede pra ler antes de dormir. Principalmente depois que descobriu a origem do nome dele com a história de Davi e Golias”.

Foi através de livros infantis que abordam a religiosidade que Lucas e Davi foram introduzidos a fundamentos e estão aprendendo a responder a questões muitas vezes difíceis aos pais como ‘de onde viemos?’, ‘para onde vamos?’, ‘como surgiram o céu e a terra?’ e ‘quem foi Jesus?’.

Crenças, costumes, origens, simbologias e até mesmo hábitos alimentares e códigos de vestimentas estão entre as explicações que os livrinhos oferecem. Em linguagem simples e ilustrações atraentes, histórias milenares ganham contornos lúdicos e divertidos, o que só contribui para o aprendizado e a aproximação dos pequenos com o sagrado, já que, de acordo com a pesquisadora e antropóloga Flávia Pires, a mera participação nos rituais religiosos não garante entendimento às crianças quanto aos “porquês”.

Segundo Flávia, a religião, na maioria das vezes, é definida pelas crianças como intrinsecamente ligada ao ato de “ir à igreja”. Por isso, pode ser bem mais interessante e significativo para os pequenos que as religiões sejam contextualizadas e ilustradas com ajuda das publicações, diz ela em seu artigo “Tornando-se Adulto: Uma Abordagem Antropológica Sobre Crianças e Religião”.

Manuela se diverte com histórias e ensinamentos budistas de

Manuela se diverte com histórias e ensinamentos budistas de “Noite Encantadas”

Ferramenta
Sri Krishna Murti Das, pai de Lucas, 12, e presidente do templo hare krishna Iskcon – Sociedade Internacional da Consciência de Krishna –, defende que, até para escolher qual caminho espiritual deseja trilhar, a criança deve conhecer um pouco de cada um dos outros. E, para isso, a literatura é uma ótima ferramenta. Para ele, a ideia plural de espiritualidade é fundamental, tanto que, com Lucas, ele discute, além do “Bhagavad-Gita para Crianças” (ed. Bhaktivedanta Book Trust, 1996), mitologias e divindades celtas, gregas, romanas, egípcias, nórdicas, histórias bíblicas e tudo o mais – sempre ancorado nos mais de 50 livros infantis ligados à religião que possui.

“As religiões estão muito queimadas pelo proselitismo, mas no momento em que a gente vê com os olhos do outro, eis a riqueza. Temos que ensinar às crianças a questão religiosa não pela perspectiva aprisionadora e dogmática, mas, sim, libertadora. O fundamentalismo é a fraqueza da fé: quem tem discernimento e sabe que as coisas vêm de dentro jamais vai apontar dedo pra ninguém”, afirma Krishna Murti, sobre o quanto a literatura pode ensinar às crianças sobre tolerância.

As mães Ludmila Albernaz e Daniela Mata Machado colocam em prática o que o monge hare krishna considera como ideal. A jornalista Daniela, 41, mãe de Dora, 7, e de Rosa, 4, mesmo sem se considerar seguidora de nenhuma religião, já ofereceu livros sobre a umbanda, o budismo, além da Bíblia, para as filhas. “As crianças recebem tudo muito bem. Elas não têm o estranhamento que a gente constrói com o passar dos anos. Apresentar a diversidade e abrir o leque é bacana porque, se existem escolhas a serem feitas, que elas então possam saber escolher e aprender, ao mesmo tempo, com o que há de melhor em cada crença”, diz, ao que Ludmila faz coro.

“Para além do rótulo religioso, espiritualidade é acreditar que podemos ser melhores. Não sei o que a Manu vai querer ser quando crescer, mas é importante colocá-la em contato com as diversas formas de pensar e com os valores de cada crença”, explica a fisioterapeuta e mãe de Manuela, 3, que já conhece as histórias de “Noites Encantadas” (fábulas infantis sobre a tradição budista. ed. Publifolha, 2008) e “Meu Pequeno Evangelho” (quadrinhos da Turma da Mônica sobre o espiritismo. ed. Boa Nova, 2014).

Acerca deste, o autor das ilustrações, Mauricio de Sousa, conta que o livro pode ser lido por leitores de diversas religiões “porque trata do assunto que une todas – o encontro da paz e a busca da purificação da alma. O sucesso do livro demonstra que a receita está certa”, afirma.

Festa - Ilustração de uma criança retrata Congado em livro sobre irmandade

Festa – Ilustração de uma criança retrata Congado em livro sobre irmandade

Yoga kids
Mãe de dois meninos, um de 21, outro de 12, Ditta Kaur (nome espiritual da belo-horizontina Cristiana Giroletti)sentia falta de um livro em português que desse conta da tradição do sikh dharma – religião popularizada pelo indiano Yogi Bhajan, à qual segue. Ela resolveu, então, contar a trajetória dos 11 mestres sikhs e convidou a escritora Marina Mariano a escrever o infantil “Os Gurus Sikhs”. O livro terá ilustrações do filho mais velho de Ditta, Fernando Giroletti, e será lançado na cidade em setembro. “Cada um dos gurus carrega uma frequência especial, traduzida por uma virtude específica, como o amor, a compaixão e a coragem. Uma coisa que buscamos reiterar é que as crianças sejam elas mesmas e que saibam que Deus está em nós”, diz

Literatura afro made in BH
Quem vê o Congado passando pelas ruas, geralmente em meados de outubro, quase sempre se pergunta o que é aquela festa. Embora seja centenária, a manifestação religiosa e cultural é pouco conhecida e um tanto marginalizada. E tem como um de seus maiores desafios manter-se viva.

Na busca de reverter esse cenário e de suprir o déficit de material didático sobre a cultura afrobrasileira e sua história, será lançado neste domingo (5), o livro infantojuvenil “O Reinado da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Jatobá”, na sede da irmandade do mesmo nome (confira mais detalhes abaixo). Um CD e um DVD com ritos, cânticos e entrevistas que elucidam um pouco da história do cotidiano da congregação, que já resiste no bairro Itaipu, na região do Barreiro, há mais de 130 anos, também serão lançados, já que a tradição que une o catolicismo ao sagrado africano está fundada sobre dois pilares: a religiosidade e a música.

Os registros vêm na esteira da expansão do segmento religioso da literatura infantojuvenil e representam um grande ganho para as religiões de matrizes africanas, que sempre tiveram suas lendas propagadas majoritariamente pela tradição oral. O aumento dessa bibliografia mirim é um passo rumo à tentativa de reduzir a intolerância religiosa que assola as culturas afro. A ação vem em conjunto com uma campanha do Governo de Minas, que se comprometeu na semana passada a promover um trabalho de enfrentamento ao racismo e à discriminação nas escolas públicas do Estado, provendo subsídios e tornando obrigatório o estudo da história e da cultura dos africanos e afro-brasileiros nos currículos dos ensinos fundamental e médio.

Inserção
Produzido exatamente no intuito de ser inserido no catálogo das escolas, a edição de “O Reinado da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Jatobá” soma-se às recentes publicações infantis belo-horizontinas sobre o reinado/congado: “Benedito”, do autor e ilustrador Josias Gomes (ed. Caramelo, 2014, R$ 38), e “Festa Mestiça – O Congado na Sala de Aula” (ed. UFMG, 2011, R$ 60), de Cecília França e Yuri Popoff. O diferencial é que o livro teve a contribuição direta das crianças da comunidade do Itaipu – várias das ilustrações são de autoria delas. Para a coordenadora do livro, Maria Cristina Troncarelli, o aspecto mais positivo da publicação, no entanto, foi deixar claro para aquelas crianças o quanto elas são importantes para a sobrevivência daquela cultura.

“As crianças dentro do ritual são das coisas mais lindas que já vi na vida. Mas o mais legal mesmo é que na feitura colaborativa do livro elas se deram conta da importância do papel que desempenham e do quanto essa expressão cultural é bonita e rica. Além de desvendar simbolismos, a princípio misteriosos para elas”, declara.

Umbanda para pequenos
Mariana Ramos de Morais e Adriano Bitarães têm explicações bem parecidas sobre os livros infantis que publicaram sobre a umbanda. “Um dia, me baixou a inspiração e saiu o livro”, diz a primeira. “Exu me sugeriu e eu obedeci”, conta o segundo. Mariana, doutora em Ciências Sociais pela PUC Minas, publicou em 2012 o festivo “Banda de Cá, Banda de Lá – Umbanda Para Crianças” (ed. Espaço Ampliar, R$ 15).

O livro conta, em cinco textos, histórias de personagens como Exu, Pomba Gira, Preto Velho, Meninos de Angola e Caboclo. Composto por versos livres, numa narrativa que lembra cantigas de roda, “Banda de Cá…” evoca as sete linhas da umbanda e visa trazer para o universo das crianças as origens e as crenças da religião.

“É uma crescente, mas a gente tem pouca literatura voltada para crianças sobre as religiões afrobrasileiras. Mesmo consideradas parte da nossa cultura, a umbanda, o candomblé, o batuque, a jurema, o congado, o tambor de mina, dentre outras denominações religiosas, muitas vezes, são tratadas como feitiço ou de forma pejorativa”, conta a autora, que acredita que o contato com o diferente desde cedo, pela literatura, pode mudar esse quadro e contribuir para construir uma sociedade mais justa e igualitária.

Adriano, que escreveu “A Era dos Erês: Uma Era ao Culto da Natureza e dos Orixás” (ed. Mazza, 2011, R$ 36) a partir de uma conversa com Exu, acredita que as crianças ficam encantadas ao reconhecer nos arquétipos dos orixás – divindades do panteão africano presentes nos rituais de candomblé e umbanda do Brasil – os elementos da natureza e até da sua personalidade. “O divertimento das crianças é perceber que o sagrado é o encontro entre tudo isso. É ver que terra, fogo, ar, água e trovão são deuses e que eles se manifestam em nós a partir das mais variadas emoções”, conclui.
Para ler com os pequenos

“Agapinho” – Versão mirim do best-seller “Ágape”, do padre Marcelo Rossi, o livro terminou 2014 na 5ª posição entre os livros infantis mais vendidos e trata de valores segundo o Evangelho de São João. Ed. Globo. R$ 10 (fnac.com.br).

“Contos Budistas” – A coletânea ilustra vários aspectos do pensamento budista com contos que envolvem aventuras emocionantes e dramáticas, entremeadas por pequenas e reflexivas histórias Zen. Ed. Martins Fontes, 2003. R$ 37,90 (americanas.com.br)

“Meu Pequeno Evangelho” – A Turma da Mônica, de Mauricio de Sousa, recebe a visita de André, que apresenta para as crianças conceitos do Evangelho espírita que todos nós podemos usar no dia a dia. Ed. Boa Nova, 2014. R$ 29,90 (livrariacultura.com.br).

O mundo diverso do sagrado nos livros
“O Reinado da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Jatobá” – Lançamento do livro, CD e DVD. Sede da Irmandade (r. Paulínia, 21, Itaipu). Neste domingo (5), a partir das 13h30. Ed. Acervo Cachuera! R$ 50.

“O Islamismo Explicado às Crianças”- Em uma obra didática, elucidativa e atual, o livro desfaz mitos e narra a história, as doutrinas e os costumes do islamismo através de uma conversa com uma criança. Ed. Unesp, 2011. R$ 22 (lojacarosamigos.com.br).

“Os Príncipes do Destino” – Na cultura africana, cada ser humano está sob a proteção de um dos 16 príncipes, seu padrinho do destino. No Brasil, os pais e mães-de-santo do candomblé são os sucessores dos príncipes. Ed. Cosac Naify, 2011. R$ 42.

“O Livro das Religiões” – O autor de “O Mundo de Sofia” mergulha neste livro no universo complexo e contraditório das religiões e descreve, com simplicidade, as características e a base de cada fé. Ed. Cia das Letras, 2005. R$ 19,90 (submarino.com.br).

“Os Orixás Sob o Céu do Brasil” – O livro conta como pessoas vindas de diferentes regiões da África chegaram ao Brasil e se uniram pelo culto aos orixás, explicando a origem do candomblé e mostrando a riqueza de suas lendas. Ed. Biruta. R$ 41,50.

“A História dos Judeus” – Com uma narrativa gráfica, o livro conduz os leitores a uma jornada de 4.000 anos de histórias, eventos e personagens que moldaram o povo judeu e sua cultura. Ed. Via Lettera, 2009. R$ 50 (livrariadafolha.com.br).

Link original: http://www.otempo.com.br/pampulha/reportagem/biblioteca-sagrada-1.1018923

Testemunhas de Jeová lançam edição revisada da Bíblia Sagrada


Após anos de estudos e pesquisas, foi lançada nacionalmente no último domingo (22) a edição revisada da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada em português.

A reunião — que foi transmitida simultaneamente para mais de 1 milhão de pessoas nos salões das Testemunhas de Jeová de todo o país — foi realizada no Salão de Assembleia, em São Paulo. David Splane, membro do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová, apresentou a nova edição.

Segundo o ancião das Testemunhas de Jeová de Pato Branco, Laerte Antonio de Oliveira, a ideia da versão reeditada foi adaptá-la às mudanças da linguagem moderna, bem como esclarecer certas expressões bíblicas. “É uma Bíblia de fácil leitura e acesso, de modo que pessoas de todas as idades podem compreendê-la”, justificou.

Além disso, Oliveira conta que ela tem referências em que podem ser feitas pesquisas sobre vários assuntos. “Também possui uma introdução à palavra de Deus, com textos que correspondem a 20 perguntas bíblicas; glossário de termos bíblicos, ou seja, que explica palavras e expressões de acordo com o seu uso na Bíblia, enfim, várias características próprias dessa versão”, descreveu.

Segundo Oliveira, todas as pessoas que estiveram presentes no domingo nos salões das Testemunhas de Jeová de todo o país receberão um exemplar gratuito da Bíblia. Porém, ele conta que outras pessoas também poderão receber as suas.

“As Testemunhas de Jeová fazem um trabalho de casa em casa, incentivando as pessoas a ler a Bíblia, então normalmente entre dois e três meses passaremos em cada residência fazendo visitas”, disse.
Ele conta que caso as pessoas queiram ter essa versão da Bíblia podem solicitar nessas visitas, que serão providenciadas na medida do possível. “Lembrando que não cobramos por publicações, mas caso a pessoa queira contribuir até aceitamos que ela demonstre o seu apreço. Mas se ela não puder, não tem problema, ela poderá ter uma Bíblia gratuita em suas mãos”, afirmou.

A Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada em PDF ou em versão eletrônica também podem ser acessadas via internet através do site http://www.jw.org.

Link original: http://www.diariodosudoeste.com.br/noticias/pato-branco/10,81708,25,03,testemunhas-de-jeova-lancam-edicao-revisada-da-biblia-sagrada.shtml

Evento: Testemunhas de Jeová comemoram lançamento de nova edição da Bíblia Sagrada


Além de um exemplar gratuito da Bíblia, um PDF da edição impressa e uma versão eletrônica no novo aplicativo Biblioteca JW podem ser baixados de graça

Cerca de um milhão de Testemunhas de Jeová comemoram novo lançamento

Cerca de um milhão de Testemunhas de Jeová comemoram novo lançamento

As Testemunhas de Jeová em todo o país anunciaram o lançamento de uma edição revisada em português da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada. O evento oficial ocorreu nesse domingo (22), foi gerado no Salão de Assembleias das Testemunhas de Jeová em Cesário Lange, estado de São Paulo e transmitido para todo Brasil. Igrejas da região de Cajazeiras e Sousa não somente assistiram como já receberam exemplares da nova edição.

Em uma reunião especial, assistida simultaneamente por mais de 1 milhão de pessoas, David Splane, membro do Corpo Governante das Testemunhas de Jeová, lançou a edição revisada da Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada em português.

A atual Comissão da Tradução do Novo Mundo da Bíblia tentou refletir as mudanças da linguagem moderna e esclarecer certas expressões bíblicas, deixando o texto mais fácil de ler e entender. Com base em análises adicionais dos Rolos do Mar Morto e de outros manuscritos antigos, essa revisão também inclui mais seis ocorrências do nome divino: Juízes 19:18; 1 Samuel 2:25; 6:3; 10:26; 23:14; 23:16.

Além de um exemplar gratuito da Bíblia, um PDF da edição impressa e uma versão eletrônica no novo aplicativo Biblioteca JW podem ser baixados de graça no site http://www.jw.org.

 

Veja abaixo a importância da Tradução do Novo Mundo da Bíblia

A BÍBLIA – GRANDE VALOR, MELHOR ENTENDIMENTO

Nova tradução facilita leitura, estudo e pesquisa do mais importante livro de todos os tempos

A Bíblia precisa ser entendida, pois é um livro de grande valor e essencial para o crescimento espiritual.

Com o passar dos anos, os idiomas mudam ganham novas palavras e novos significados. Assim, atualizar e revisar a Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada produzida pelas Testemunhas Cristãs de Jeová se tornou necessário para que seu valor e compreensão alcancem o maior número de pessoas.

Os idiomas sofrem modificações com o passar do tempo, portanto, tornou-se necessário revisar a tradução da Bíblia para que ela continue sendo entendida. Se a Bíblia não for entendida, perde seu valor.

Por que foi preciso fazer uma revisão da “Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas”?

Desde o lançamento da edição original da Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas em inglês em 1950 e em português em 1967, houve um progresso muito grande no entendimento das línguas em que a Bíblia foi originalmente escrita, o hebraico, aramaico e grego. Novos manuscritos descobertos, mais antigos do que aqueles disponíveis quando da publicação original da Tradução do Novo Mundo, trouxeram maior refinamento no texto-padrão da Bíblia.

Esses refinamentos ampliaram a utilização do nome de Deus, Jeová. Pesquisas posteriores revelaram seis lugares adicionais em que o nome divino, Jeová, deveria aparecer na Bíblia. Elas estão em Juízes 19:18 e em 1 Samuel 2:25; 6:3; 10:26; 23:14, 16. Assim, agora o nome de Deus, Jeová, aparece na Tradução do Novo Mundo 7.216 vezes, incluindo 237 vezes nas Escrituras Gregas Cristãs.

Algumas características da Tradução do Novo Mundo

1 – NOTAS DE RODAPÉ: Diversas notas foram incluídas para informar (1) traduções alternativas para expressar a mesma ideia; (2) traduções alternativas que transmitem uma ideia diferente, mas que sejam aceitáveis; (3) tradução literal de expressões hebraicas, aramaicas e gregas e (4) o significado de nomes e outras informações relevantes sobre o fundo histórico.

2 – UMA INTRODUÇÃO À PALAVRA DE DEUS: Contém textos que respondem a 20 perguntas bíblicas.

3 – APÊNDICE A: Considera princípios de tradução da Bíblia, características dessa revisão e o nome divino nas Escrituras.

4 – APÊNDICE B: Inclui mensagens bíblicas, mapas, diagramas e outras ajudas para o estudo da Bíblia.

5 – ESBOÇO DO CONTEÚDO: No início de cada livro bíblico há uma breve visão geral do livro e ajuda o leitor a localizar facilmente uma passagem bíblica.

6 – REFERÊNCIAS CRUZADAS: Cada página contém referências que direciona o leitor a um texto bíblico relacionado.

7 – ÍNDICE DE PALAVRAS BÍBLICAS: Contém uma lista de palavras e sua localização na Bíblia; contém um pequeno trecho da frase onde a palavra aparece.

8 – GLOSSÁRIO DE TERMOS BÍBLICOS: Pequeno dicionário bíblico que explica palavras e expressões de acordo com o seu uso na Bíblia.

Link original: http://www.diariodosertao.com.br/artigos/v/religiao/evento–testemunhas-de-jeova-comemoram-lancamento-de-nova-edicao-da-biblia-sagrada/20150324164738

No Azerbaijão, testemunhas de Jeová podem enfrentar até cinco anos de prisão por distribuir literatura religiosa (Inglês)


Um juiz na capital do Azerbaijão Baku ordenou as testemunhas de Jeová feminino dois a ser realizada por três meses na prisão de investigação da polícia secreta de Ministério de segurança nacional, de acordo com as decisões vistas pelo serviço de notícias Forum 18. Irina Zakharchenko e Valida Jabrayilova enfrentam prisão cinco anos de se for condenado de oferecer literatura religiosa sem a autorização do estado.

“Esta é uma grave violação dos direitos humanos de duas mulheres inocentes, que atualmente estão preso por causa de suas crenças religiosas. A decisão do Tribunal contraria tanto o Azerbaijão e o direito internacional,”queixou-se membros de testemunhas de Jeová.
De acordo com o artigo o problema começou por testemunhas de Jeová Zakharchenko, um aposentado de 54 anos de idade e 38 anos Jabrayilova em 5 de dezembro de 2014. Eles iam de porta em porta para discutir sua fé e oferecer cópias das publicações das testemunhas de Jeová em Pirallahi. Um dos moradores declaradamente apresentou uma queixa contra eles para a polícia do distrito para distribuição ilegal de literatura religiosa. No entanto, o Comité de estado para o trabalho com as organizações religiosas – que implementa a censura do estado obrigatória de toda a literatura religiosa publicado em ou importados para o Azerbaijão – aprovado importação desta publicação em 11 de agosto de 2014. Estado Comitê adjunto cadeira Gunduz Ismayilov autorizado o Comité aduaneiro estado para permitir a importação de 2.000 exemplares do livro, as notas de 18 fórum.

Conforme observado no artigo parentes das mulheres (filho do Zakharchenko e mãe do Jabrayilova) veio para a prisão de investigação para tentar encontrá-los. No entanto, oficiais da prisão se recusaram-lhes. Como observa o artigo, esta é a primeira vez que as testemunhas de Jeová foram presos por acusações criminais não ligadas à recusa de servir nas forças armadas, Fórum 18 notas. Nos últimos anos, apenas não-muçulmanos prisioneiros de consciência encarcerados para exercício do direito à liberdade de religião ou crença tem sido testemunha de Jeová os objectores de consciência ao serviço militar obrigatório, Fórum 18 notas. Nos últimos anos vários cristãos protestantes serviram também a penas de prisão para puni-los para o exercício do direito à liberdade de religião ou crença.

De acordo com o artigo foi entre prisões do Azerbaijão, a visita de uma delegação da Comissão do Conselho da Europa para a prevenção da tortura e desumanos ou degradantes ou punição em dezembro de 2012. No entanto, o governo do Azerbaijão se recusou a permitir que a Comissão publicar o seu relatório da visita.

Fórum 18 lembra que um juiz em Sumgait condenado Zohrab muçulmano sunita Shikhaliyev a prisão seis meses de para puni-lo por manter uma sala de oração em sua casa. “Shikhaliyev estabeleceu uma sala de oração muçulmana sunita em sua casa, há mais de dois anos atrás, como nenhuma outra mesquita sunita existe em Sumgait. O governo é hostil aos muçulmanos sunitas,”lê a publicação.

O representante do Comitê de estado para o trabalho com associações religiosas se recusou a discutir o problema com o “Forum 18”. As notas do artigo que muitos muçulmanos estão na prisão ou em julgamento, para exercer o seu direito à liberdade de religião ou crença. O maior grupo composto por aqueles presos para puni-los por protestar nas ruas de Baku, em outubro de 2012, contra a proibição do Ministério da educação de 2010 de meninas vestindo um véu (hijab) nas escolas. Dez são presos ainda

Link original: http://www.panorama.am/en/politics/2015/02/24/azerbaijan-jehovah-witnesses/

Grupo Testemunha de Jeová cria tenda em Hawaii Volcanoes National Park (Inglês)


Por Nancy Cook Lauer
West Hawaii Today

ncook-lauer@westhawaiitoday.com

Testemunhas de Jeová de Mountain View Kingdom Hall na sexta-feira falar com as mulheres da Califórnia que estão visitando o Parque Nacional dos Vulcões do Havaí. (Nancy Cook Lauer/West Hawaii Today)

Testemunhas de Jeová de Mountain View Kingdom Hall na sexta-feira falar com as mulheres da Califórnia que estão visitando o Parque Nacional dos Vulcões do Havaí. (Nancy Cook Lauer/West Hawaii Today)

Grupo Testemunha de Jeová está levando a sua mensagem para o Havaí Parque Nacional dos Vulcões, deixando pelo menos um regulares parque freqüentador de insatisfeitos com a política parque.

O grupo religioso foi levantando uma tenda com um grande banner e mesa, cumprimentando visitantes para o parque nacional e distribuindo materiais impressos, disse o morador de Hilo Sandra Lee, que caminha regularmente no parque. Barraca do grupo foi avistado várias vezes acamparam na área gramada ao lado do Kilauea Visitor Center.

“Para mim, é uma espécie de no seu rosto”, disse Lee. “Eles estão perturbando a paz do parque nacional. Esta é terra pública e isso não é a minha agenda. ”

Dois membros das Testemunhas de Jeová o Mountain View Kingdom Hall tinha armado a sua pequena tenda cor de mostarda no parque na sexta-feira de manhã. Dois grandes prateleiras de materiais religiosos e um par de cadeiras de gramado completou seu acampamento. Não havia nenhum sinal do banner de destaque, mas as mulheres disseram outros em seu grupo têm demonstrado isso.

Sua tenda está bem dentro da área a Primeira Emenda do parque, e eles não se incomodam as pessoas, disseram.

“Nós sentimos que estamos muito discreto sobre isso”, disse Leslie, que não quis dar seu sobrenome. “As pessoas vêm até nós. Nós não abordá-los “.

As mulheres disseram que ter uma autorização para criar a sua tenda no parque.

Lee disse que ela queixou-se a funcionários do parque e da polícia local, porque ela vai para o parque para relaxar num ambiente natural, não ser pregado a.

“A natureza é meu deus”, disse ela.

Funcionários do parque nacional dizem grupos religiosos, assim como qualquer outro grupo de exercício do direito de liberdade de expressão, estão autorizados a fazer proselitismo no parque.

Vulcões do Havaí Parque Nacional designou a seção de gramado no extremo oeste do centro de visitantes limitado a norte pela Volcano Art Center para a calçada centro de visitantes, delimitada a leste pelo concreto baseado centro de visitantes pátio, limitado ao sul por o centro de visitantes frente calçada, e limitado a oeste pela área de estacionamento de ônibus da turnê para assembléias públicas e reuniões.

Grupos de 25 ou menos pode definir a sua tenda sem uma licença. Os grupos maiores devem obter uma autorização de uso especial do parque.

Até agora, as Testemunhas de Jeová são os únicos que se aproveitam da política, disse a porta-voz Jessica Ferracane parque. Ela disse que os funcionários do parque recordar o grupo vindo lá desde pelo menos 2007.

A questão do proselitismo nos parques nacionais não é um novo. Um acordo de pagamento foi assinada por um juiz federal, em 1995, depois de um casal de judeus de Maryland processado por ser abordado em seu quarto trancado em Big Bend National Park à noite por evangelistas cristãos instando-os a frequentar os cultos da igreja na manhã seguinte.

A decisão judicial proíbe o Serviço Nacional de Parques de dar tratamento preferencial a qualquer grupo religioso. Afirma parques onde a atividade religiosa ocorre regularmente devem deixar um aviso no parque Bulletin Boards que o Serviço de Parques não endossa qualquer grupo ou mensagem.

Não existe tal aviso em Hawaii Volcanoes National Park, e ambos Ferracane e porta-voz do National Park Service Jeffrey Olson disse um não é exigido pela política parque atual.

“Quando se trata de editais, alguns parques têm sinais em suas áreas da Primeira Emenda, e alguns parques de permitir que as informações a partir de qualquer grupo religioso em quadros de avisos da comunidade / área de camping”, Olson disse em um e-mail sexta-feira. “Mas, não há nada na política que exige esses avisos.”

Em 2000, a American Civil Liberties Union of Southern California convenceu o National Park Service para remover uma cruz cristã do Mojave National Preserve em San Bernardino County. Em 2010, os advogados da Alliance Defense Fund baseados em Ariz Scottsdale, ganhou um processo contra o Departamento do Interior dos EUA depois de um ranger em Mount Rushmore National Memorial impediu que as pessoas que estavam passando a literatura religiosa sem uma licença, perto do centro de visitantes do parque.

Elizabeth Cavell, o advogado pessoal para a Freedom From Religion Foundation Inc. com sede em Wis Madison,, disse que seu grupo recebeu 35 queixas em todo o país, envolvendo religião em parques, em 2014, e 45 queixas em 2013. Uma queixa comum é cerca de Bíblias serem colocados em quartos de hóspedes em parques estaduais e nacionais, disse ela.

“Estes são a maioria em parques estaduais e locais, embora um punhado são sobre problemas que ocorrem em parques nacionais”, disse ela.

Embora a prática é permitida no âmbito das políticas da Primeira Emenda, Lee disse que se sente mal com ela.

“Por que a sua liberdade de trunfo direitos fala a minha liberdade de religião”, ela perguntou.

Link original: http://westhawaiitoday.com/news/local-news/jehovah-s-witness-group-sets-tent-hawaii-volcanoes-national-park