Archive for the ‘Tecnologia’ Category

[G1] Testemunha de Jeová passa por cirurgia complexa sem transfusão sanguínea


Paciente de 46 anos teve bexiga, próstata e vesículas seminais retiradas sem o uso de sangue dos bancos. Cirurgia foi feita em hospital de Lençóis Paulista.

 Cirurgia complexa foi realizada sem transfusão sanguínea heteróloga em hospital de Lençóis Paulista (Foto: Hospital Nossa Senhora da Piedade/Divulgação)

Cirurgia complexa foi realizada sem transfusão sanguínea heteróloga em hospital de Lençóis Paulista (Foto: Hospital Nossa Senhora da Piedade/Divulgação)

Um paciente Testemunha de Jeová passou por uma cirurgia complexa bem sucedida sem transfusão sanguínea heteróloga – com sangue proveniente dos bancos – no hospital Nossa Senhora da Piedade, em Lençóis Paulista (SP).

O homem apresentava um tumor na saída da bexiga que estava invadindo o órgão e também a próstata. A operação – que durou cerca de três horas e meia – foi realizada em uma região com grandes vasos sanguíneos e fez a retirada da próstata, das vesículas seminais e da própria bexiga.

A cirurgia foi feita respeitando a religião – que não permite a troca de sangue total – e só foi possível com o auxílio de uma máquina ligada a um aspirador. Assim, todo o sangue do campo cirúrgico e também secreções, como urina e líquido linfático, foram sugados pela máquina.

O equipamento – que custa cerca de R$ 75 mil – processa todo o material e, por centrifugação, separa as hemácias dos outros componentes. O médico responsável pela cirurgia, o urologista Daniel Molinar, explica que o paciente recebeu o próprio sangue.

“Foi tirado um pedaço de 30 centímetros do intestino delgado, uma parte chamada íleo, e construída uma nova bexiga a partir disso. Durante o processo, a máquina trabalhou para reinfundir as hemácias no paciente, ou seja, ele tomou o próprio sangue depois de limpo”, explica o médico.

O paciente, que é de Guarulhos, já recebeu alta do hospital. A operação foi realizada no início do mês de junho.

 Máquina suga o sangue do campo cirúrgia e secreções e separa hemácias para reinfundir no paciente (Foto: Hospital Nossa Senhora da Piedade/Divulgação)

Máquina suga o sangue do campo cirúrgia e secreções e separa hemácias para reinfundir no paciente (Foto: Hospital Nossa Senhora da Piedade/Divulgação)

Religião e segurança

Testemunhas de Jeová acreditam que alguns textos bíblicos proíbem a transfusão de sangue total, glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas e plasma. Segundo o site oficial dos Testemunhas de Jeová, a proibição seria indicada em um versículo de Gênesis, por exemplo, que diz que “somente a carne com a sua alma – seu sangue – não deveis comer”.

Mas além das questões religiosas, a utilização da máquina traz mais tranquilidade ao profissional nas operações como a do paciente Testemunha de Jeová – em áreas próximas a grandes vasos sanguíneos – e também maior segurança ao operado, que recebe o próprio sangue e não depende dos estoques dos hemonúcleos.

“Não existe transfusão 100% segura. Uma cirurgia com o uso do próprio sangue é muito mais segura. Com isso, nós evitamos todas as complicações que podem acontecer na transfusão heteróloga, sejam elas infecciosas ou imunológicas. Nesse sentido, isso traz mais segurança ao paciente e menos tempo de recuperação, principalmente pós-cirúrgica”, destaca o médico.

Trabalhos científicos também demonstraram que pacientes oncológicos que não receberam transfusões sanguíneas heterólogas apresentam menor índice de complicações precoces ou tardias, segundo o médico.

 Médico responsável pela cirurgia, o urologista Daniel Molinar, explicou sobre o procedimento realizado em hospital de Lençóis Paulista (Foto: Hospital Nossa Senhora da Piedade/Divulgação)

Médico responsável pela cirurgia, o urologista Daniel Molinar, explicou sobre o procedimento realizado em hospital de Lençóis Paulista (Foto: Hospital Nossa Senhora da Piedade/Divulgação)

Link original: http://g1.globo.com/sp/bauru-marilia/noticia/testemunha-de-jeova-passa-por-cirurgia-complexa-sem-transfusao-sanguinea.ghtml

[jcnet] Testemunha de Jeová passa por cirurgia sem transfusão de sangue


O Hospital Nossa Senhora da Piedade de Lençóis Paulista realizou no último dia 7 uma cirurgia para tratamento de um câncer avançado na bexiga, invadindo a próstata, de um paciente de 46 anos, que é Testemunha de Jeová e respeitando sua religião, que não aceita transfusão sanguínea.

O médico responsável pela cirurgia, o urologista Dr. Daniel Molinar explica sobre o procedimento chamado cistoprostatectomia com neobexiga ileal. “É uma cirurgia (para retirada da próstata, da vesícula seminal e toda a bexiga do paciente, e construção de uma nova bexiga, com segmento do intestino delgado chamado íleo) que utiliza uma máquina recuperadora de sangue do intra-operatório (campo cirúrgico) chamada Cell Saver, em que o próprio sangue do paciente é recuperado e depois reinfundido, ou seja, não havendo a necessidade de transfusão sanguínea heteróloga (sangue do banco de sangue)”. O paciente está em recuperação.

O anúncio da cirurgia foi feita nessa terça-feira (13), véspera do Dia Nacional do Doador de Sangue, que é comemorado nesta quarta-feira (14), seguindo orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS). A instituição deste dia como data especial para homenagear os doadores também serve para difundir a importância das transfusões, que salvam vidas através dos estoques dos hemocentros de todo o país.

Link original: http://www.jcnet.com.br/Regional/2017/06/testemunha-de-jeova-passa-por-cirurgia-sem-transfusao-de-sangue.html

[Legal NewsLine] Tribunal de Apelação mantém julgamento sumário em caso de morte injustificada do paciente testemunha de Jeová (Inglês)



Um tribunal de apelação do estado de Washington negou um recurso de julgamento sumário em caso de negligência médica de uma mulher e ação judicial por morte ilícita.

Keisha Baumgartner entrou com uma ação contra Columbia Anesthesia Group P.S. E o Dr. Mark A. Morehart após sua mãe, Angela Baumgartner, morreu devido à perda de sangue maciça após a cirurgia.

De acordo com documentos do tribunal, Angela Baumgartner entrou em cirurgia para uma cirurgia minimamente invasiva para ter uma massa em seu rim removido. Morehart era seu anestesiologista.

Baumgartner é Testemunha de Jeová e, de acordo com sua religião, eles são incapazes de receber transfusões de sangue, mesmo que seja seu próprio sangue que tenha sido armazenado em outro lugar e devolvido a eles.

Eles são, no entanto, capaz de usar máquinas de poupança de células, que removem sangue excesso, em seguida, devolvê-lo para o corpo em um circuito fechado.

Morehart foi informado disso antes da cirurgia.

No início de sua cirurgia, o protetor de células foi ligado a Baumgartner. Durante o procedimento, seu cirurgião, Michelle Hendrix, saiu da sala.

O outro médico removeu o tumor, que causou o sangramento maciço. Ele removeu a máquina porque não estava acompanhando a perda de sangue. O tubo de sucção caiu no chão.

Hendrix voltou e anunciou que a máquina não poderia mais ser usada porque tanto o tubo quanto o sangue na máquina estavam contaminados.

Baumgartner morreu devido à perda de sangue.

Keisha Baumgartner entrou com o processo; Morehart, em troca, apresentou uma moção de julgamento sumário.

Baumgartner usou o depoimento do Dr. Bruce Spiess, que é um especialista nas crenças de Testemunhas de Jeová e na máquina de proteção de células.

O tribunal de julgamento concedeu um julgamento sumário em favor de Morehart, rejeitando a reivindicação de Baumgartner.

Em seu apelo, Baumgartner alegou Morehart deveria ter dirigido a equipe para ter a máquina em espera e deve ter usado a máquina após o tubo contaminado foi substituído.

Spiess testemunhou que é normal ter a máquina de poupança de células configurada em modo de espera, mas não disse que era necessário.

O tribunal de apelação concordou com o tribunal de primeira instância sobre esta alegação, afirmando em seu parecer, “Baumgartner não demonstrou que um padrão de cuidados exigiu Dr. Morehart para direcionar que a máquina de poupança de células ser configurado em standby”.

O tribunal de apelação também concordou que a máquina não deveria ter sido usada novamente depois que caiu no chão.

Spiess testemunhou que apenas o tubo estava contaminado, não o sangue.

“Dr. Morehart argumenta que o padrão de cuidado do Dr. Spiess em relação ao momento em que um componente está contaminado é inaplicável aqui porque havia evidência de que toda a máquina de proteção de células estava contaminada, não apenas o tubo de sucção eo Dr. Morehart não estava em posição de refutar isso Evidência “, o tribunal de apelação escreveu, confirmando a decisão do tribunal inferior.

Link original:

[VÍDEO] Duke torna possíveis transplantes de órgãos para as Testemunhas de Jeová (EUA)


http://www.wral.com/lifestyles/healthteam/video/16588801/?version=embedded_v2&player_options=%257B%2522embedded_autoplay_next%2522%253Atrue%257D

Durham, NC – De acordo com a Rede de Aquisição e Transplante de Órgãos, apenas cerca de 2.600 corações de doadores estão disponíveis a cada ano. Em um dado momento, cerca de 4.000 pessoas estão em uma lista de espera para um transplante de coração.

No passado, pessoas com objeções religiosas às transfusões de sangue recusaram este e outros procedimentos de salvamento. Mas para muitos, a cirurgia agora é possível sem conflito com a fé.

Raoul Gibson, 35, recebeu o coração de um doador no Duke Hospital no último Dia dos Namorados. Normalmente, teria tido que recusar o transplante salvador, devido a um certo princípio da fé de Testemunhas de Jeová.

“O fato de que eu não aceitaria sangue, transfusões de sangue ou quaisquer produtos de sangue total”, disse Gibson.

10 anos atrás, Duke começou seu Centro de Conservação do Sangue. Eles desenvolveram um processo para qualquer cirurgia envolvendo transfusões para controlar o sangramento. O Dr. Mani Daneshmand de Duke disse que trabalhou pròxima com representantes de Testemunha de Jeová.

“Esta é uma estratégia aceita para as pessoas da fé das Testemunhas de Jeová”, disse Daneshmand.

Gibson foi hospitalizado por mais de um mês, recebendo um hormônio natural para estimular a produção de glóbulos vermelhos.

Mais tarde, eles permitiriam que eles removessem parte de seu sangue, mas permaneciam fiéis a um princípio-chave.

“Nós realmente manter o sangue em continuidade com a sua própria corrente sanguínea, mas removê-lo para que o sangue não pode sangrar”, disse Daneshmand.

Que sangue mais concentrado é substituído por outros fluidos não-sangue, de modo que alguns sangramento não irá apresentar problemas.

Há também um “celular saver” dispositivo.

“Assim, qualquer sangue que se perde é imediatamente eliminado por este dispositivo e voltou à corrente sanguínea”, disse Daneshmand.

“Eles lavaram todos os órgãos antes de colocá-los em mim, para que eles não seriam expostos a qualquer sangue”, disse Gibson.

Gibson disse que está ansioso para ir para casa e desfrutar de uma vida mais normal.

“Estou ansioso para ver como meu novo coração se sente e como vou ser capaz de fazer coisas novas”, disse Gibson.

VÍDEO NO LINK ORIGINAL
Link original: http://www.wral.com/duke-makes-organ-transplants-possible-for-jehovah-s-witnesses-others/16587988/

Ashya está curado?


O menino britânico foi retirado do hospital inglês porque os pais não estavam de acordo com o tratamento ali administrado. Levaram-no para Praga, em busca de alternativa. E agora, dizem estar curado.

O menino submeteu-se a feixes de protões que parecem ter curado o cancro cerebral AFP/Getty Images

O menino submeteu-se a feixes de protões que parecem ter curado o cancro cerebral AFP/Getty Images

Lembra-se da história do menino de cinco anos que os pais retiraram de um hospital inglês para voar até Espanha em busca de um tratamento alternativo para o cancro? Pois bem, agora os pais de Ashya King vieram anunciar a cura do menino. A notícia vem no The Sun.

Em setembro, Ashya deu entrada numa clínica em Praga, na República Checa, para se submeter a um tratamento com radiações para ultrapassar o cancro cerebral. Brett e Naghemeh King anunciam agora que “na última consulta médica, Ashya não tinha evidências do tumor”. Agora, o menino está em Espanha com a família, com quem já fala e brinca. “Isto justifica tudo o que fizemos no passado, porque as coisas estão a funcionar para Ashya”, afirmou Brett.

Os pais, testemunhas de Jeová, não estavam de acordo com o tratamento que o hospital de Southampton, em Inglaterra, queria aplicar no filho, que se debatia com meduloblastoma. Em junho retiraram-no do hospital às escondidas e viajaram para Espanha, em busca de novos tratamentos. Acabaram detidos em agosto, por ordem judicial do Reino Unido. Quando saíram da prisão, decidiram rumar com o menino até Praga. E conseguiram o que procuravam: um tratamento alternativo e inovador, com base em feixes de protões, que no Reino Unido não aplicavam.

Ashya continua agora sob os cuidados do médico argentino Hernán Cortés-Funes, chefe do serviço de Oncologia Médica do Hospital Universitário 12 de outubro, em Madrid e da Unidade de Oncologia do Hospital Internacional HC Marbella.

Link original: http://observador.pt/2015/03/23/ashya-esta-curado/

Programa de cirurgia sem sangue do Mercy Medical Center atrai pacientes de todos os países, ao redor do mundo


JoAnn Dove (esquerda) de Akron sorri enquanto é dado um descanso do coração autografada pelo cirurgião cardiotorácico Dr. Giovanni B. Ciuffo no Mercy Medical Center, em Canton. Dr. Ciuffo realizada uma cirurgia de ponte de safena sem derramamento de sangue em Dove. (Karen Schiely / Akron Beacon Journal)

JoAnn Dove (esquerda) de Akron sorri enquanto é dado um descanso do coração autografada pelo cirurgião cardiotorácico Dr. Giovanni B. Ciuffo no Mercy Medical Center, em Canton. Dr. Ciuffo realizada uma cirurgia de ponte de safena sem derramamento de sangue em Dove. (Karen Schiely / Akron Beacon Journal)

A convicção religiosa perto do coração de Madalyn Copcutt a levou a viajar mais de 11.000 milhas para Canton para cuidados médicos.

As crenças de Copcutt como uma Testemunha de Jeová a proíbe de aceitar transfusões de sangue, não importa as circunstâncias.

“A Bíblia, no Antigo e no Novo Testamento, nos ordena a abster-se de sangue”, disse ela. “Eu não aceitam transfusões de sangue não só em obediência a Deus, mas também por respeito a ele como o doador da vida.”

Quando a 26-year-old recém-casado descobriu a sua própria vida estava em risco de um tumor raro em seu coração, ela veio a Mercy Medical Center, da Austrália para um procedimento de coração aberto sem sangue que os cirurgiões em seu país de origem não iria realizar.

“Minha recusa de transfusões de sangue não muda o meu desejo de viver, por isso foi extremamente importante para mim encontrar o melhor cirurgião que respeitava as minhas crenças, e que teve a habilidade e experiência necessária para me confiá-los com a minha vida”, ela disse em uma entrevista por email, da Austrália. “Foi uma lufada de ar fresco para ser tratado por um cirurgião e uma equipe que foram respeitosos e compreensão das minhas crenças, ao invés de me pressionar e me dizendo que eles não concordam com a minha decisão.”

Cirurgião cardiotorácico Dr. Giovanni B. Ciuffo deixou fala sobre a cirurgia de bypass coronário sem derramamento de sangue ele se apresentou em JoAnn Dove (segundo à direita) de Akron no Mercy Medical Center, em Canton. Dove é com suas filhas Susan Greene (esquerda) de Akron e Sandi Anderson de Akron. (Karen Schiely / Akron Beacon Journal)

Cirurgião cardiotorácico Dr. Giovanni B. Ciuffo deixou fala sobre a cirurgia de bypass coronário sem derramamento de sangue ele se apresentou em JoAnn Dove (segundo à direita) de Akron no Mercy Medical Center, em Canton. Dove é com suas filhas Susan Greene (esquerda) de Akron e Sandi Anderson de Akron. (Karen Schiely / Akron Beacon Journal)

Programa Minimamente Invasiva e Bloodless Cirurgia Cardíaca da Misericórdia, liderada pelo cirurgião cardiotorácico Dr. Giovanni Ciuffo, está atraindo pacientes de todo o país – e em alguns casos, o mundo – buscando operações livres de transfusões.
Ciuffo, que se juntou Mercy cerca de um ano, já realizou mais de 600 cirurgias sem transfusão para as Testemunhas de Jeová, bem como centenas de outros pacientes, uma vez que ele treinou pela primeira vez na técnica na Universidade de Pittsburgh no final de 1990.

“Apesar do fato de que a cirurgia de coração aberto é considerada um procedimento muito sangue, isso pode ser feito sem produtos derivados de sangue”, disse ele. “Eu tento evitar a transfusão de pacientes, independentemente de crenças religiosas.”

Ciuffo disse que a chave para evitar transfusões de sangue durante a cirurgia cardíaca está seguindo passos cuidadosos antes, durante e após a operação.

JoAnn Dove (direita) de Akron sorri como cirurgião cardiotorácico Dr. Giovanni B. Ciuffo fala sobre a cirurgia de bypass coronário sem derramamento de sangue se apresentou no Dove no Mercy Medical Center, em Canton. (Karen Schiely / Akron Beacon Journal)

JoAnn Dove (direita) de Akron sorri como cirurgião cardiotorácico Dr. Giovanni B. Ciuffo fala sobre a cirurgia de bypass coronário sem derramamento de sangue se apresentou no Dove no Mercy Medical Center, em Canton. (Karen Schiely / Akron Beacon Journal)

Antes da cirurgia, medidas são tomadas, se possível, para eliminar quaisquer medicamentos e suplementos que poderiam ser de afinamento do sangue do paciente para reduzir o risco de sangramento, disse ele. Medicamentos também podem ser dadas para impulsionar as células vermelhas do sangue do paciente antes da cirurgia para que eles tenham extra para poupar.

Durante a operação, é necessária uma “técnica cirúrgica muito meticuloso” para evitar sangramento, sempre que possível, disse ele. Uma máquina de poupança de células também pode ser utilizado para recolher, filtrar e retornar o sangue do próprio paciente para o corpo.

Depois, Ciuffo limita o número de exames de sangue realizados para minimizar a perda de sangue, disse ele. Quando são necessários testes, frascos pediátricos porte estão cheios.

Cirurgião cardiotorácico Dr. Giovanni B. Ciuffo no Mercy Medical Center, em Canton. (Karen Schiely / Akron Beacon Journal)

Cirurgião cardiotorácico Dr. Giovanni B. Ciuffo no Mercy Medical Center, em Canton. (Karen Schiely / Akron Beacon Journal)

“Por que você está indo para forçar o sangue para baixo veias de outra pessoa, se eles não querem isso?”, Disse. “Pode ser feita, e que pode ser feito rotineiramente.”

Programa de cirurgia cardíaca sem derramamento de sangue de Misericórdia faz parte do programa de conservação de sangue do hospital, que começou em 2001, inicialmente para atender às solicitações dos Testemunhas de Jeová área.

“Eles realmente queriam bons cuidados médicos, apenas sem sangue”, disse o coordenador do programa e enfermeira Katie Simmons.

Diretor Médico Dr. Kirby Sweitzer e Simmons trabalhar para oferecer uma variedade de procedimentos cirúrgicos para testemunhas e os que não são Testemunhas que querem uma operação livre de transfusão.

“Se você pode reduzir as transfusões, você vai ver um grande benefício para o seu hospital e seus pacientes”, disse ela.

Cirurgia sem transfusão de sangue ou poupadores está se tornando cada vez mais comum para todos os pacientes, não apenas aqueles que se recusam transfusões por motivos religiosos.
Rival cruz-cidade de Misericórdia, Hospital Aultman em Canton, oferece um programa de cirurgia sem sangue.

A Cleveland Clinic, um dos maiores programas de cirurgia cardíaca do país, também foi abraçar técnicas cirúrgicas sem derramamento de sangue, sempre que possível para melhorar os resultados do paciente, reduzindo os custos.

Pacientes Testemunhas de Jeová que se submeteram à cirurgia cardíaca sem transfusões de sangue na Clínica Cleveland tiveram menos complicações e menor tempo de permanência hospitalar em comparação com pacientes que receberam transfusões semelhantes, de acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Clínica e do National Institutes of Health.

Susan Greene de Akron fala sobre ser grato do programa de cirurgia sem sangue no Mercy Medical Center, em Canton. Greene e sua família são as Testemunhas de Jeová e é contra as suas crenças para receber transfusões de sangue. Mãe JoAnn Dove de Greene passou recentemente por uma ponte de safena sem derramamento de sangue no hospital. (Karen Schiely / Akron Beacon Journal)

Susan Greene de Akron fala sobre ser grato do programa de cirurgia sem sangue no Mercy Medical Center, em Canton. Greene e sua família são as Testemunhas de Jeová e é contra as suas crenças para receber transfusões de sangue. Mãe JoAnn Dove de Greene passou recentemente por uma ponte de safena sem derramamento de sangue no hospital. (Karen Schiely / Akron Beacon Journal)

O estudo concluiu Testemunhas de Jeová tiveram melhor sobrevida de um ano após a cirurgia cardíaca do que os pacientes que receberam transfusões.
Embora as transfusões de sangue são seguros, os pacientes podem ter reações, disse Ciuffo.
“Se eu transferir o sangue para você que não o seu é, eu estou mexendo com o seu sistema imunológico”, disse ele. “Você realmente quer sangue de outra pessoa em você, se você pode evitá-lo?”

JoAnn Dove e sua família foram procurar atendimento médico sem sangue por anos de Mercy.

Dove, 78, de Akron, recentemente teve a cirurgia de bypass triplo no Mercy.
“Sabemos que eles estão conscientes do que precisamos”, disse sua filha, Susan Greene de Akron. “Nós apreciamos-los a trabalhar tão estreitamente com a gente.”
Copcutt, o paciente da Austrália, foi a consulta com Ciuffo por mais de dois anos depois de sua sogra, então futuro encontrou-o através de pesquisa na Internet.

Copcutt primeiro passou por uma cirurgia em maio de 2012 em Austrália para remover um tumor no seu coração. Mas quando um ecocardiograma um mês depois que ela se casou em setembro revelou outra massa estava crescendo em seu coração, os cirurgiões na Austrália disse que o tumor era inoperável ou de alto risco na melhor das hipóteses, sem uma transfusão de sangue.

“Ela era muito bonita, enviado para casa para morrer após o diagnóstico”, disse Ciuffo.
Copcutt e sua família veio a Canton no final de outubro para que ela pudesse ter a operação no Mercy. Congregações das Testemunhas de Jeová local prestou apoio durante a sua estadia.

Depois de uma internação de três dias, Copcutt permaneceu em Canton até meados de novembro, quando ela e seu marido, Josh, viajou para Nova York antes de voltar para casa.
“Viajar para Canton, Ohio, provou ser uma excelente decisão”, disse ela. “Eu fiz muito bem.”

Link original: http://www.ohio.com/news/local/mercy-medical-center-s-bloodless-surgery-program-draws-patients-from-across-country-around-world-1.550055

JW Broadcasting é lançado (Inglês)


Testemunha de Jeová na sexta-feira lançou um novo recurso em seu site para alcançar mais pessoas com a mensagem da Salvação.

Testemunha de Jeová Chamado JW Broadcasting, o novo recurso, o que traria os vídeos já existentes no site da organização; jw.org, oferece TV familiar on-line que é espiritualmente edificante.

O conteúdo, produzido no estúdio JW Radiodifusão, bem como uma seleção de vídeos do site jw.org, é composta de streaming de canais que transmitem esses vídeos 24 horas por dia.

Estes são apresentados através de vídeos individuais usando o recurso de vídeo on demand e um áudio em que uma variedade de programas de áudio, incluindo música, produções teatrais e leituras dramáticas da Bíblia que poderia ser ouvido.

Sr. Paul Amu Neequaye, um ministro de JW, anunciou o lançamento do novo recurso em um discurso bíblico no início de três dias de Congresso de Distrito de Ga membros que falam do testemunho de fé em West área de Accra, em curso no Nyannyo, perto Kasoa na Região Central.

A convenção, apelidado; “Continue buscando o Reino de Deus Primeiro” está destacando o Reino pregado por Jesus como o único governo sustentável para acabar com todos os problemas humanos e trazer a verdadeira paz e segurança universal.

A convenção viu apresentações simultaneamente está sendo feito para os membros em Batsona, perto de Tema, através do telefone que contou com discursos bíblicos, entrevistas, drama e demonstração sobre a aplicação da Bíblia para garantir a vida humana bem sucedida.

Espera-se que os novos convertidos também seria batizado na fé.

Sr. Neequaye expressou preocupação sobre o fracasso da religião para trazer alívio às pessoas, observando que, apesar dos avanços da medicina, ainda havia risco de vida doenças como malária, cólera e Ebola, bem como aumento da taxa de aborto, da fome e outro mau uso da tecnologia.

Sr. Neequaye pediu conventioneers para descansar a sua esperança no Senhor Deus como o único cujas promessas nunca falham.

Sr. Paul Krudass, um membro do Comitê de Supervisão no Gana Filial da Testemunha de Jeová, lançou uma tradução Ga pelas Testemunhas de Jeová de Escrituras Gregas Cristãs comumente chamado no Novo Testamento.

Mais de 1.650 delegados participaram da convenção.

Link original: http://www.spyghana.com/jw-broadcasting-launched/