Archive for the ‘Tragédia’ Category

[O Globo] Corpo achado no Parque da Tijuca é de estudante da UFRJ sumido desde agosto


João Ferreira Duque foi encontrado na Pedra Bonita

Por Júlia Cople e Marta Szpacenkopf

João Ferreira Duque estava sumido desde agosto - Reprodução/Facebook

João Ferreira Duque estava sumido desde agosto – Reprodução/Facebook

RIO — A delegada Elen Souto, titular da Delegacia de Descoberta de Paradeiros do Rio, confirmou que um corpo encontrado nesta quinta-feira no Parque da Tijuca é do estudante João Ferreira Duque. O aluno da UFRJ estava desaparecido desde 25 de agosto. A 19ª DP (Tijuca) está encarregada de investigar as circunstâncias da morte do jovem.

O corpo foi encontrado já em estado de putrefação, na Pedra Bonita. O jovem saiu de casa, na Rua Aureliano Pimentel, no Jardim Guanabara, Ilha do Governador, por volta de 11h40m da manhã e não foi mais visto. Um colega de turma e um professor do curso noturno de Ciências Contábeis da unidade de ensino federal confirmaram que ele não foi às aulas no dia do desaparecimento.

Uma prima do rapaz escreveu no Facebook que é difícil assimilar a perda do parente. “Infelizmente tenho que dizer que o final da história não foi o esperado (…) Eu creio no meu Deus e sei que João está agora nos braços dele, eu sempre acreditei que as pessoas boas vão para o céu. O último adeus não pudemos dar, mas fica na memória e no coração o amor que hoje será eternizado”, lamentou.

O jovem era filho único de Daniel e Teresa Duque. Uma amiga da família, que preferiu não se identificar, disse que o rapaz era tranquilo, ele não tinha vícios e seguia a religião Testemunha de Jeová.

— Ele não é de farra, nem de balada. Ninguém tem a menor ideia do que aconteceu com João. O telefone celular dele está desligado e a sua foto no WhatsApp foi apagada — conta.

Link original: https://oglobo.globo.com/rio/corpo-achado-no-parque-da-tijuca-de-estudante-da-ufrj-sumido-desde-agosto-22001013

Anúncios

[GP1] Eletricista morre eletrocutado dentro de templo no bairro Angelim (Teresina-PI)


De acordo com a Polícia Militar do Piauí, o fato aconteceu dentro de um templo de Testemunhas de Jeová.

THAIS GUIMARÃES

Um eletricista identificado como Manoel Lima de Carvalho morreu eletrocutado na tarde desse sábado (21), após tentar trocar uma lâmpada em um templo de Testemunhas de Jeová localizado no bairro Angelim, zona sul de Teresina. O fato foi confirmado ao GP1 pela Polícia Militar do Piauí.

De acordo com informações repassadas pelo tenente João Henrique, da Companhia de Policiamento do Promorar, o caso aconteceu por volta das 15h. Manoel Lima tentou fazer a instalação e sofreu a descarga elétrica, indo a óbito instantaneamente. A vítima tinha 45 anos de idade.

“Demos a assistência padrão, fazendo o isolamento da área”, afirmou o oficial da PM. O corpo do eletricista foi removido por uma equipe do Instituto de Medicina Legal (IML).

Link original: http://www.gp1.com.br/noticias/eletricista-morre-eletrocutado-dentro-de-templo-no-bairro-angelim-422651.html

[Observador] Professores, enfermeiros e polícias. As histórias de quem morreu no atentado de Las Vegas (Portugual)


Os professores que estavam de folga, os enfermeiros que gostavam de “country” e os polícias que morreram ao serviço. Os rostos e as histórias de quem morreu no atentado deste domingo em Las Vegas.

Cinquenta e nove pessoas morreram este domingo quando um homem abriu fogo sobre uma multidão que assistia a um concerto junto ao casino Mandalay Bay, Las Vegas (Estados Unidos). Dois dias depois do ataque, que se tornou no tiroteio mais mortífero da história norte-americana, começam agora a ser conhecidas as identidades das vítimas. Conheça os seus rostos e as suas histórias.

Sonny Melton

https://s.frames.news/cards/terrorismo-nos-eua/

Tinha 29 anos e era um enfermeiro certificado no Henry County Medical Center, um centro de saúde em Paris, estado do Tennessee. Morreu quando, ao correr, abraçou a mulher para a proteger dos tiros, acabando por ser atingido nas costas, explicou Heather Melton, uma cirurgiã ortopedista, numa entrevista à CNN. Sonny Melton era descrito como “um homem carinhoso, de coração grande, alguém que simplesmente se sabe que é bom e generoso”.

Rachael Parker

Tinha 33 anos e era técnica de gravações no departamento da polícia em Manhattan Beach. De acordo com um comunicado oficial lançado pelos colegas, Rachael Parker foi atingida no tiroteio em Las Vegas e veio a morrer no hospital. Foi a única dos quatro agentes presente no concerto que morreu: os outros três sofreram ferimentos ligeiros, afirma a polícia da Califórnia.

Jordan McIldoon

Tinha 25 anos, era natural de Maple Ridge, British Columbia, e apaixonado por tatuagens. Quando foi atingido, uma mulher chamada Heather Gooze permaneceu ao lado dele, de mãos dadas, embora os dois nunca se tivessem conhecido. Foi Heather Gooze que ligou à namorada e à mãe de Jordan para as avisar da morte do rapaz: “Queria que o nome dele fosse conhecido. Tinha a obrigação de me certificar que toda a gente saberia o nome dele”.

Angela Gomez

Conhecia por “Angie” entre os amigos, era uma rapariga muito ativa na comunidade de Riversidade, estado da Califórnia. De acordo com a Riverside Polytechnic High School, onde andou em 2015, Angela Gomez fazia teatro na cidade, pertenceu ao coro da escola secundária e era “cheerleader”. “Era sempre vista com um sorriso no rosto, era uma amiga leal que amava a família”, diz o comunidado da escola secundária.

Sandra Casey

Era professora de ensino especial há nove anos na escola básica de Manhattan Beach e veio a morrer no hospital, depois de ter sido atingida no tiroteio de Las Vegas. O superintendente da escola, que anunciou a morte de Sandra Casey, diz que vai sempre ser recordada “pelo sentido de humor, paixão pelo trabalho, devoção aos estudantes e entrega aos projetos que lhe aparecessem pelo caminho”.

Jenny Parks

Era uma professora de jardim de infância em Lancaster School District, estado da Califórnia, que tinha ido a Las Vegas visitar os dois irmãos. O tio de Jenny Parks, que confirmou a morte, descreve-a como “uma das pessoas mais amorosas que alguma vez podemos imaginar encontrar, que estava sempre pronta a ajudar alguém”. Steven McCarthy diz que nunca a viu chateado ou triste. O marido de Jenny, Bobby Parks, está a ser acompanhado depois de ter sido baleado, mas está consciente.

Neysa Tonks

Vivia em Las Vegas e tinha três filhos — Kaden, Braxton e Greysen — confirmou a Technologent, empresa onde Neysa Tonks trabalhava. Os colegas recordam-na como uma pessoa “muito alegre, alegria e gargalhadas” à empresa, que abriu uma angariação de fundos para entregar à família de Neysa. A iniciativa já amealhou 60 mil dólares.

Susan Smith

Tinha 53 anos, dois filhos, era casada e era gestora da Vista Elementary School, estado da Califórnia, confirmou a própria escola. De acordo com o comunicado, Susan Smith trabalhava havia 16 anos na escola primária e era “uma grande fã que música country”. Foi isso que a levou até Las Vegas na companhia de dois amigos, que sobreviveram ao ataque. “Ela era sempre muito acolhedora, toda a gente a conhecia e ajudou muita gente”, recorda a escola.

Bailey Schweitzer

Estava com a mãe quando foi atingida e morta durante o tiroteio em Las Vegas. Tinha 20 anos e tinha ido ao concerto para ver alguns dos seus artistas favoritos. Andou na Centennial High School, onde jogava voleibol e era “cheerleader”, e praticava desporto na comunidade religiosa local. Ao mesmo tempo, ajudava os pais a gerir o autódromo da família.

Jennifer T. Irvine

Era uma advogada de San Diego que estava de férias em Las Vegas. Descrita como “firme e tenaz”, Jennifer T. Irvine era especializada em criminalidade e lei familiar e tinha a própria empresa de advocacia. Fora do tribunal, era cinturão negro em taekwondo, praticava ioga e começava agora a aprender escalada e paraquedismo.

Lisa Romero-Muniz

Era secretária de uma rede de escola, Gallup-McKinley County Schools, no Novo México, desde 2003, e ensinava regras de disciplina a estudantes mais rebeldes. Vários alunos escrevem no Facebook que Lisa “fez muito” por eles, que a respeitavam muito e trabalhava muito em prol dos jovens das três escolas onde trabalhava.

Rhonda LeRocque

Natural de Tewksbury, Massachusetts, foi morta durante o tiroteio, confirmou a mãe à CNN. Descrita como “uma mulher linda por dentro e por fora”, Rhonda LeRocque “era uma grande mãe, mulher, tia, filha, irmã e trabalhadora”. Era testemunha de Jeová e muito ativa na comunidade religiosa a que pertencia. Adorava o Hawai, a Disney e música “country”.

Carrie Barnette

Trabalhava num dos parques temáticos da Disney, conforme anunciou Robert Iger, CEO da empresa. Funcionária há 10 dez, Carrie Barnette foi descrita como “uma mulher muito amada pelos amigos e família”. Além de Carrie, outra funcionária da Disney — a atriz Jessica Milam — está neste momento em estado grave no hospital.

Charleston Hartfield

Era um polícia de Las Vegas e membro das forças armadas. Tinha sido enviado para o concerto no casino Mandalay Bay quando o tiroteio começou. Charleston Hartfield, que era treinador de futebol numa equipa juvenil em Las Vegas e pai de uma criança, tinha acabado de publicar um livro chamado “Memórias de um Funcionário Público”.

Jessica Klymahuk

Era uma mãe solteira de quatro crianças que vivia em Valleyview e que tinha ido a Las Vegas com o noivo, Brett Irla.

Adrian Murfitt

Era um festivaleiro por natureza, tinha 35 anos e era natural do Alasca. Depois de ter passado três meses num barco de pesca de salmão em alto mar, Adrian Murfitt decidiu ir com Las Vegas com um amigo assistir ao concerto junto ao casino Mandalay Bay. Tinha dois cães, adorava jogar hóquei e era conhecido por “engenhocas” por gostar de arranjar coisas. O amigo tentou reanimá-lo, mas sem sucesso.

John Phippen

Estava no festival de música “country” com o filho, Travis. Quem estava perto deles diz que John Phippen morreu porque se atirou para cima do filho para que ele não fosse atingido pelas balas. Quando percebeu que o pai estava morto, Travis levantou-se e foi baleado no braço. Ainda assim, quando o tiroteio terminou, permaneceu no local para ajudar os feridos.

Quinton Robbins

Era o mais velho de três irmãos, membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, estudante na Universidade de Nevada e amante de pesca e música. Terá sido das primeiras pessoas a serem atingidas: a namorada, que estava com ele no concerto, pensou que ele tinha caído porque tinha os níveis de glicose demasiado elevado. Quando se baixou para o ajudar percebeu que Quinton tinha sido baleado.

Dana Gardner

Tinha 52 anos e era funcionária pública em San Bernardino “há muito tempo”, disse o município em comunicado. Foi descrita como “uma pessoa de trato fácil e muito dedicada”. Havia outros quatro trabalhadores no local, encontram-se feridos.

Jessica Klymchuk

Tinha quatro filhos e vivia em Edmonton, Alberta. Era assistente educacional, bibliotecária e motorista de um autocarro escolar em St Stephen’s School. Um colega diz que “fez muito, fez tudo mesmo, pelos alunos” com quem convivia.

Denise Burditus

Natural de Martinsville, do estado de West Virginia, foi uma das primeiras cinco vítimas a ser identificadas. Foi o marido que, no Facebook, anunciou a morte da mulher, que estava prestes a ter um neto. Tinha dois filhos.

Chris Roybal

Tinha 28 anos e era um militar reformado que tinha estado no Afeganistão. Estava em Las Vegas a celebrar o aniversário com a mãe, que sobreviveu. No Facebook, Chris Roybal costumava partilhar publicações sobre a experiência em campo de guerra. Morreu atingido por uma bala no concerto junto ao casino.

Thomas Day Jr.

Era um construtor civil de 54 anos de Riverside, estado da Califórnia. Estava em Las Vegas com os quatro filhos, todos com entre 20 e 30 anos.

Link original: http://observador.pt/2017/10/03/professores-enfermeiros-e-policias-as-historias-de-quem-morreu-no-atentado-de-las-vegas/

[devonlive] [Vídeo] Homenagens à Testemunhas de Jeová “marido amável, gentil e amoroso” esfaqueado e morto em Honiton Jefe (Inglês)


Por Joe Bulmer

Philip Ryan, de 55 anos, foi morto enquanto trabalhava no Salão do Reino das Testemunhas de Jeová na Rua Dowell, Honiton, na terça-feira, 6 de junho.

Philip Ryan, de 55 anos, foi morto enquanto trabalhava no Salão do Reino das Testemunhas de Jeová na Rua Dowell, Honiton, na terça-feira, 6 de junho.

A família e os colegas de Westward Ho! O homem morto em uma facada em Honiton prestou homenagem a um “homem amável, gentil e inteligente”. Philip Ryan, de 55 anos, morreu enquanto trabalhava no Salão do Reino das Testemunhas de Jeová na Rua Dowell, Honiton, na terça-feira, 6 de junho.

Sua família e ex-colegas deram homenagem ao homem. Em uma breve declaração, a família do Sr. Ryan expressou sua dor por sua morte. Ele afirma: “Philip era um marido muito gentil, gentil e amoroso que será muito desapontado por toda a família e amigos.

“Estamos em estado de choque. Não há palavras para descrever nossa dor”.

Salão das Testemunhas de Jeová em Dowell Street, Honiton

Salão das Testemunhas de Jeová em Dowell Street, Honiton

Philip foi o especialista em alarme de Canalizadores e Construtores da Westcountry e trabalhou em estreita colaboração com a empresa há muitos anos.

A diretora Diana Wheldal, de 42 anos, disse: “Ele era um homem muito profissional e muito educado. Ele era o nosso homem de alarme tanto em casa quanto para o negócio.

“Ele era um homem adorável e muito inteligente também. Estávamos todos completamente chocados quando ouvimos as notícias, o escritório ficou muito quieto nesse dia.

“Ele era um homem muito particular e raramente falava sobre sua família”.

Diana falou pela última vez com Philip há cerca de três semanas, quando ele, “na gota de chapéu”, veio e solucionou um alarme no escritório e serviu o sistema enquanto ele estava lá.

Amigo e ancião da igreja da Bideford Bay Congregação das Testemunhas de Jeová Brian Raisbeck conhecia o Sr. Ryan por cerca de 15 anos e contou-o como amigo íntimo.

“Nós fomos bons amigos. Ambos nos servimos como idosos na congregação local e passamos muito tempo juntos fora da igreja também”, disse Brian.

“Ele era o tipo de homem que sempre teve muito tempo para as pessoas. Ele era um homem profundamente espiritual que tomou sua fé muito a sério.

“Philip também foi um grande professor e ajudou muitas pessoas na congregação. Ele era um grande homem, mas nunca usou seu tamanho para intimidar as pessoas.

“Quando ouvimos as notícias, minha esposa e eu ficamos chocados e completamente devastados. Inicialmente, não nos disseram exatamente o que aconteceu, achamos que talvez ele tenha se machucado no trabalho, mas ouvir que ele foi atacado foi devastador”.

Um cordão permaneceu no lugar em torno do Salão do Reino por dias depois que o corpo do Sr. Ryan foi encontrado com múltiplas feridas na faca.

Philip possuía Ryan Alarms e Electrical Services com sede em Westward Ho! Ele mora na vila em North Devon com sua esposa Sandra, 56. Entende-se que ele estava trabalhando no corredor quando ele foi esfaqueado.

O suprto chefe Jim Colwell disse: “A localização no auditório da Testemunha de Jeová nos causa um certo grau de preocupação em relação ao motivo pelo qual essa localização particular foi escolhida.

“O motivo para o ataque ainda não está claro. Essa é uma das nossas principais linhas de investigação – tentando examinar os antecedentes das pessoas envolvidas e tentando descobrir se há alguma conexão entre os dois ou os motivos do ataque.

“Eu não gostaria de especular no momento quanto ao porquê esse local foi direcionado naquele momento e dessa forma, mas essa é uma das linhas-chave do nosso inquérito”.

O Chefe de Supressão Colwell disse que queria tranquilizar a comunidade de que incidentes como este eram “felizmente muito raros” e que é “muito um incidente isolado”.

Qualquer pessoa que possa ter informações sobre o incidente é convidada para entrar em contato com a polícia através de 101@dc.police.uk ou telefonando 101, citando o registro 529 de 06/06/17.

Keith Beviss, um homem de Honiton, de 54 anos, foi encarregado do assassinato de Ryan .

Vídeo no link original
Link original: http://www.devonlive.com/tributes-paid-to-westward-ho-man-ryan-phillips-killed-in-honiton/story-30387008-detail/story.html

[devonlive] Cidade tranquila “chocada” por esfaqueamento de uma Testemunha de Jeová (Inglês)


Por Paul Greaves

O suposto assassinato de um homem em um centro para as Testemunhas de Jeová em Honiton chocou as pessoas que moravam na pacífica cidade do mercado e membros “profundamente entristecidos” do grupo cristão.

Philip Ryan, de 55 anos, foi morto no Kingdom Hall na terça à tarde.

O “marido gentil, gentil e amoroso” morreu em cena por feridas de facada.

As Testemunhas de Jeová confirmaram que ele era um idoso em sua comunidade.

Um porta-voz do grupo disse: “Estamos profundamente entristecidos com a trágica perda de Philip Ryan, que foi durante muitos anos um membro ativo de sua congregação local de Testemunhas de Jeová.

“Neste momento, nossos pensamentos e orações estão com sua esposa, família e amigos íntimos.

É nossa esperança que eles encontrem conforto em sua fé e no apoio de seus companheiros de fidelidade e comunidade local “.

O Sr. Ryan possuía Ryan Alarms e Electrical Services com sede em Westward Ho!

Keith Beviss, 54, compareceu no tribunal na manhã de quinta-feira acusado de seu assassinato.

 

Elizabeth Cook – Keith Beviss

Residentes e comerciantes da cidade do leste de Devon falaram sobre o impacto na comunidade, que tem uma população de cerca de 12 mil habitantes, e é principalmente conhecida por seus links históricos para fazer rendas.

A expressão mais comum é que “isso simplesmente não acontece em Honiton sonolento”.

A localização do ataque de faca – um centro de encontro para membros do movimento reformista cristão – levou a polícia a investigar se o crime isolado era religiosamente motivado.

A causa não é conhecida, mas os detetives continuam sua sonda na cidade e apelam para testemunhas.

Henry Brown, vice-prefeito, de Honiton, disse: “Estou completamente horrorizado e espantado com o que aconteceu, especialmente porque a polícia está investigando se era um crime de ódio.

As pessoas com quem falei estão chocadas e surpresas.

As pessoas normalmente se sentem muito seguras em nossa comunidade se estão caminhando no dia ou na noite.

 

Cllr Henry Brown

 

“De pessoas com quem falei estão preocupadas.

Normalmente, esse tipo de coisa acontece nas grandes áreas metropolitanas.

Como um grupo, estamos muito chocados com isso.

“Não é uma ocorrência comum em nossa cidade e as pessoas não estão preparadas para lidar com essa informação.

Mas é um despertar que essas coisas não apenas acontecem muito longe.

Obviamente, as pessoas não devem ficar histéricas sobre um evento isolado e mostra o quão importante é a sensação de comunidade.

Ou simpatias com a família da vítima e a cidade vai seguir nesse evento “.

 

Polícia e ambulância foram convocados para a Dowell Street às 15h05 na terça 6 de junho. A localização do corredor fica a cerca de 300 metros da principal rua principal.

É principalmente residencial, mas tem leiloadores, uma galeria de arte, negócios funerários e centro comunitário – a Beehive – nas proximidades.

.

Honiton High Street é uma movimentada rua comercial, com a habitual mistura de pubs, bancos, lojas de caridade e varejistas nacionais.

Há também um número acima da média de lojas e cafés independentes.

Geoff Tyson, proprietário de High Street Books, disse que recebeu uma carta da polícia da quinta-feira pedindo testemunhas e assegurando-lhes que o incidente era um evento único.

“Honiton é um lugar tão tranquilo que isso é realmente surpreendente”, disse ele.

“Eu não me preocupo com isso, mas isso faz você pensar o que aconteceria se um estranho entrou e esfaqueou alguém, especialmente em uma loja.

Eu não deveria ter uma ansiedade, mas um pouco de mim não pode acreditar que aconteceu aqui “.

Dawn Summers, da loja de roupas de noiva Lovely, acrescentou: “Vi a polícia escavando os arbustos perto do parque de estacionamento, que foi o primeiro que eu sabia sobre isso.

É muito pouco característico para Honiton.

É uma comunidade tão acolhedora e amigável, onde as pessoas cuidam umas das outras.

É muito triste quando algo assim acontece “.

 

Geoff Tyson

 

O Word contou a cidade com a tragédia, e as pessoas entendem que os fatos completos podem levar algum tempo para tornar-se públicos.

Um pensionista, falando com outro na High Street, disse: “Eu não estou preocupado com tudo.

Eu acho que é uma coisa única e eu não me sinto ameaçada por ela.

Se alguém estivesse solto, ficaria muito mais preocupado.

Na noite passada, vi dois policiais na rua e, para ser honesto, achei que era algo que não havia visto há muito tempo e que estava tranqüilizado.

“Eu vivo perto de onde aconteceu.

Não é como o terrorista que está acontecendo em outros lugares.

Eu acho que isso pode acontecer em qualquer lugar a qualquer momento “.

Um membro da equipe da loja Cats Protection, que não queria ser nomeado, disse: “Eu estava aqui quando aconteceu, depois passei pelo corredor às 5h.

Havia muita polícia lá embaixo.

Eu não sei nada sobre as circunstâncias, mas posso dizer que, desde que mudei de Derby, vi muitas pessoas com problemas de saúde mental.

Sempre haverá uma preocupação quando alguem receberá facas, mas isso não acontece apenas aqui “.

 

Um membro da equipe da Whittons on Dowell Street disse que ficou chocada com o que aconteceu, mas disse que era importante que as pessoas ficassem calmas e ajudassem a polícia se pudessem.

 

“Nada aconteceu assim aqui”, disse ela.

“Nós sempre nos sentimos muito seguros. É uma pena que uma pessoa possa fazer com que todos se sintam muito nervosos. Hoje é o dia das eleições e por causa do que aconteceu em Manchester e Londres faz você se sentir muito mais nervoso, só isso”.

A polícia enfatizou que incidentes como este são “felizmente muito raros” e que é “muito isolado”.

Dave Williams, que morava em Dolwell Street, perto do suposto assassinato, disse: “Saí na terça de manhã e quando voltei à tarde, havia carros de polícia e ambulâncias alinhadas pela rua.

Pensei: “O que diabos está acontecendo aqui?”

 

Dave Williams

 

“Fui on-line e descobri que alguém havia sido esfaqueado, a polícia veio falar comigo e perguntou sobre CCTV. Não tenho ideia do que aconteceu e as pessoas vão formar suas próprias conclusões. Posso dizer que as Testemunhas de Jeová construíram esse edifício No início dos anos 2000. Não se incomodam como um grupo. O único problema que tive era no começo, quando eles viriam batendo na porta, mas isso parou. Nós os vemos indo e vindo e eu entendi que eles são apertados -knit grupo e eles puxam seus próprios especialistas e tradesmen de todo o lado quando eles querem algo fazendo “.

A comunidade das Testemunhas de Jeová se reuniu para apoiar a família do Sr. Ryan.

O Sr. Ryan morou em North Devon com sua esposa Sandra, 56. Acredita-se que ele estava trabalhando no corredor quando ele foi esfaqueado.

Em uma declaração, sua família disse: “Philip era um marido muito gentil, gentil e amoroso que sentiria muita falta por toda a família e amigos. Estamos em estado de choque. Não há palavras para descrever nossa dor”.

Link original: http://www.devonlive.com/murder-probe-town-shocked-by-stabbing-of-jehovah-s-witness/story-30379223-detail/story.html

[somersetlive] Homem acusado de assassinato por esfaqueamento de uma Testemunha de Jeová de volta ao tribunal no próximo mês (Inglês)


Philip Ryan de Westward Ho! Foi encontrado com feridas no interior do Salão do Reino das Testemunhas de Jeová

Philip Ryan foi encontrado morto em 6 de junho

Philip Ryan foi encontrado morto em 6 de junho

Um homem acusado de assassinar um eletricista enquanto trabalhava no salão de uma Testemunha de Jeová voltou ao tribunal no próximo mês.

Keith Beviss, de 54 anos, da Woodhayes Drive, Honiton, foi acusado do assassinato de Philip Ryan no salão da Rua Dowell, Honiton, na terça 6 de junho.

O Sr. Ryan, um eletricista casado de 55 anos de Westward Ho !, North Devon, foi encontrado com feridas de facada dentro do Jefe do Reino da Testemunha de Jeová.

O caso é devido para uma audiência preliminar no tribunal de Exeter Crown em 6 de julho, com Beviss prisioneiro sob custódia até essa data.

O corpo de Philip Ryan foi encontrado no Salão do Reino das Testemunhas de Jeová na Rua Dowell, em Honiton, às 15h30, em 6 de junho.
consulte Mais informação

Ele possuía Ryan Alarms e Electrical Services com sede em Westward Ho! E morou na cidade em North Devon com sua esposa Sandra, 56.

Pouco depois de sua morte, sua família divulgou uma declaração agradecendo a comunidade de Testemunhas de Jeová por seu apoio e homenageando o Sr. Ryan.

Eles disseram: “Philip era um marido muito gentil, gentil e amoroso que sentiria muita falta por toda a família e amigos. Estamos em estado de choque. Não há palavras para descrever nossa dor”.

Link original: http://www.somersetlive.co.uk/news/local-news/man-charged-murder-over-stabbing-106593

[itv] Homem acusado de assassinato de “marido gentil e amoroso” no Salão do Reino das Testemunhas de Jeová (Inglês)


A família de Philip Ryan o descreveu como um marido gentil, gentil e amoroso. Crédito: Devon e Cornwall Police

A família de Philip Ryan o descreveu como um marido gentil, gentil e amoroso. Crédito: Devon e Cornwall Police

Um homem foi acusado de assassinato após a descoberta do corpo de outro homem no Salão do Reino das Testemunhas de Jeová em Honiton.

Keith Beviss, 54 e de Honiton, é acusado de assassinar Philip Ryan, que tem 55 anos e Westward Ho.

A polícia foi convocada para o Salão do Reino das Testemunhas de Jeová na Rua Dowell um pouco antes das 16 horas da terça-feira.

Philip Ryan – que tinha sido esfaqueado várias vezes foi declarado morto na cena.

 O Salão do Reino das Testemunhas de Jeová em Honiton. Crédito: ITV News

O Salão do Reino das Testemunhas de Jeová em Honiton. Crédito: ITV News

A família de Philip Ryan lançou um tributo dizendo que não há palavras para descrever sua dor:

Philip era um marido muito gentil, gentil e amoroso que será muito desapontado por toda a família e amigos.

Estamos em estado de choque. Não há palavras para descrever nossa dor “.

– tributo familiar de Philip Ryan

Link original: http://www.itv.com/news/westcountry/2017-06-08/man-charged-with-murder-of-gentle-and-loving-husband-at-kingdom-hall-of-jehovahs-witnesses/