Archive for the ‘Positiva’ Category

[Blog do Anderson] Dia de Finados em Vitória da Conquista: conquistenses prestam homenagens aos amigos e familiares


O Dia de Finados, feriado em todo o Brasil, é um dia de muitas homenagens em Vitória da Conquista. Logo pela manhã o BLOG DO ANDERSON passou pelo Cemitério da Saudade onde milhares de visitantes realizaram suas orações aos entes queridos.

Do lado de fora dezenas de bancas foram instaladas para vendas de velas e flores. Às 9 horas o arcebispo metropolitano Dom Frei Luiz Gonzaga da Silva Pepeu proferiu a missa acompanhado de dezenas de fiéis católicos.

As Testemunhas de Jeová e a Igreja Universal do Reino de Deus também levaram suas mensagens. Veja algumas fotos registradas pelo BLOG DO ANDERSON neste momento também de alegria no Cemitério da Saudade.

Anúncios

[Diário Catarinense] Testamento vital, que garante morte digna a pacientes terminais, ainda é pouco utilizado em SC


Últimos desejos do paciente terminal, como não ser intubado ou não ter reanimação cardíaca, podem ser registrados em cartório e constar no prontuário - Foto: Felipe Carneiro / Agencia RBS

Imagine-se na condição de um paciente terminal: já sem capacidade de se comunicar, mas com o diagnóstico iminente da morte. De que forma você gostaria de passar os últimos dias? Em vez de delegar ao médico a missão de encontrar a cura onde as possibilidades de sobrevida são inexistentes, há quem prefira ser poupado de procedimentos considerados invasivos. No intuito de abreviar o sofrimento, esse público rejeita métodos como a intubação, mas opta por terapias que aliviam os sintomas finais até o último suspiro.

Não se trata do desligamento de aparelhos, mas do oposto à eutanásia: a ortotanásia, que foca na adoção de tratamentos capazes de controlar a dor de doenças irreversíveis. Esses pacientes encontram respaldo no testamento vital, documento por meio do qual a pessoa pode manifestar de antemão sobre quais tratamentos não quer ser submetida no final da vida. Apesar de completar cinco anos em 2017, a resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) que regulamenta esse recurso ainda é pouco aplicada no país e em Santa Catarina. A insegurança jurídica, já que não há legislação específica que aborde a temática no Brasil, aliada à falta de profissionais especializados em tratamentos paliativos e ao tabu em relação à morte estão entre os motivos pelos quais as diretivas antecipadas de vontade do paciente são raridade.

O médico catarinense Roberto D’Ávila, que presidiu o CFM de 2009 a 2014, explica a motivação do texto 1.995 que aprovou em 2012. Ele caracteriza como excessivos os procedimentos que prolongam a morte com sofrimento e fora do convívio familiar, justamente o que o testamento vital tenta evitar.

— Os médicos têm que reconhecer que, quando chega o momento, não se deve interferir, principalmente se era a vontade da pessoa. Mas quem escreve tem medo de não ter os desejos respeitados. A família é o principal agente, que nega isso porque quer mais um dia de vida àquela pessoa. E aí vai deixando os profissionais operarem e fazerem tudo para prolongar a etapa, mas é maldade. Todos têm que morrer um dia — explicita.

Desde 2012, somente 42 diretivas antecipadas de vontade, como o documento é conhecido nos cartórios, foram registrados por catarinenses. A vice-presidente da Associação dos Notários e Registradores do Brasil no Estado (Anoreg-SC), Anna Christina Ribeiro Neto Menegatti, explica a pouca adesão ao método. A tabeliã de Itajaí é taxativa ao afirmar que a falta de lei específica sobre esse momento não é um problema porque o código civil dá base a isso. Porém, reconhece que as famílias podem processar os profissionais que seguirem às vontades expressas nos documentos.

— Os testamentos vitais não ferem princípios constitucionais, porque todos os requisitos para elaborá-lo estão previstos no Código Civil. Na verdade, o que se vê é que existe pouca divulgação sobre a possibilidade de a pessoa escolher qual tratamento quer receber ou refutar — indica.

Isabela, que estudou esse recurso na enfermagem, optou pelo registro da diretiva antecipada de vontade. Foto: Felipe Carneiro / Agencia RBS

Isabela, que estudou esse recurso na enfermagem, optou pelo registro da diretiva antecipada de vontade. Foto: Felipe Carneiro / Agencia RBS

A importância de conhecer os procedimentos

Após estudar as últimas vontades dos pacientes no âmbito da enfermagem, Isabela Saioron, que é doutoranda na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), decidiu fazer o próprio registro em cartório. Assinou um documento afirmando que, em caso de morte encefálica, gostaria de ter os órgãos doados, além de ter o corpo cremado. Preferiu, por enquanto, não mencionar quais procedimentos gostaria de rejeitar caso um dia seja uma paciente terminal.

— É comum ver pessoais leigas recusando esse ou aquele tratamento. Mas até que ponto ela está informada sobre eles ou sobre a enfermidade que tanto teme? Então, ele pode colocar uma recusa que vai salvar a vida dele. Ou o avanço tecnológico vai tornar aquele procedimento menos invasivo. De qualquer maneira, é uma forma de informar previamente o que a família possivelmente se perguntaria quando já não é mais possível responder — pondera.

Por desconhecer uma aplicação consistente do testamento vital, o advogado responsável pela presidência da comissão de direito notarial e registros da Ordem dos Advogados do Brasil em SC, Roberto Pugliesi, considera a população conservadora em relação ao morrer.

— Até os testamentos comuns são mau vistos, então você imagina os vitais. Culturalmente, há um certo repúdio em se expor a última vontade através de testamento, porque muita gente pensa que está chamando a morte ou que é mau agouro — analisa.

Segundo dados do Colégio Notarial do Brasil, desde 2006, foram pouco mais de 3,1 mil testamentos vitais registrados no país. A Federação dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde, Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas e Demais Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de São Paulo (Fehoesp) tenta encaminhar um projeto de lei por meio do Ministério da Saúde. O tema é objeto de legislação nos Estados Unidos, na Espanha e, mais recentemente, em Portugal.

Vontades do paciente podem constar no prontuário médico

O testamento vital, que difere do convencional por ser utilizado ainda em vida e não envolver bens materiais, também pode estar previsto no prontuário de cada paciente, dada a validade legal desse papel. Essa é a forma, inclusive, que a Secretaria de Estado da Saúde garante a autonomia de cada pessoa internada em hospitais públicos de Santa Catarina.

— Os profissionais dos hospitais da secretaria tem conhecimento da resolução do CFM sobre o testamento vital. Mas, até o momento, nenhum paciente apresentou esse documento . Quem atua nas unidades sempre atende a vontade do paciente, familiares ou representante legal — garante Ledronete Silvestre, que coordena a Política Nacional de Humanização da pasta.

Nesses espaços do Estado, também há um formulário para que a pessoa preencha conforme seus interesses terapêuticos em um contexto de terminalidade. Ou de convicções religiosas, por exemplo, como é o caso do movimento Testemunhas de Jeová, que não aceita transfusões sanguíneas. No entanto, o presidente da Associação Catarinense de Medicina (ACM), Rafael Klee de Vasconcellos, cita duas dificuldades no respeito a esses vontades que, considera, a dignidade no momento da morte.

— O testamento vital exige um posicionamento individual do paciente, que tem que deixar isso claro perante o seu médico e seus familiares. O fato de não haver um sistema de prontuário único atrapalha, porque o paciente do SUS ou até de convênio não está sempre circulando no mesmo ambiente ou no mesmo médico. Ou os familiares não concordam com aquilo — diz.

Procurado, o Conselho Regional de Medicina em Santa Catarina (CRM-SC) também afirma que “ainda há muito o que fazer para ser um documento mais conhecido”, sem detalhar as ações.

Especialistas defendem testamento vital como um direito à dignidade do paciente até no momento da morte. Foto: Felipe Carneiro / Agencia RBS

Especialistas defendem testamento vital como um direito à dignidade do paciente até no momento da morte. Foto: Felipe Carneiro / Agencia RBS

Profissional ressalta a importância de alinhamento das vontades com a família
Mesma recomendação de compartilhar a decisão prévia com profissionais de confiança da medicina e do direito tem a advogada mineira Luciana Dadalto, que administra o site Testamento Vital. Nesse contato anterior ao registro do testamento vital, é possível ter conhecimento a respeito das técnicas comumente utilizadas em doenças terminais, bem como saber de que forma é possível elencá-las no documento, que é uma manifestação de livre vontade. A jurista que estuda a temática há uma década defende a participação da família nesse momento.

— Não existe um rol objetivo do que pode ser previsto. Em geral, o testamento vital pode conter aceitação ou recusa de cuidados, tratamentos e procedimentos para o fim da vida. Não é possível prever disposições contra a lei vigente como, por exemplo, pedido de eutanásia. Conversar antes evita que a família seja surpreendida pelo documento em um momento em que o paciente não tem mais condições de se manifestar — defende.

Nessa conversa, é interessante destacar o potencial dos procedimentos que podem ser adotados a partir do momento em que não há mais cura para uma enfermidade, conforme defende a médica Lauren Provin. A profissional, que atua no serviço de suporte oncológico e cuidados paliativos do Centro de Pesquisas Oncológicas de Santa Catarina (Cepon), explica que essa abordagem dá conta de aliviar sintomas físicos, psicológicos, sociais e espirituais. E os pacientes têm desejado comunicar desde o diagnóstico àquilo que desejam, que reflete em alívio da dor, controle de sintoma de estresse, atendimento de emergência e, principalmente, reafirmação da vida.

— A nossa sociedade pensa que vai morrer aos 90 anos lúcida e fazendo tudo o que faz hoje, mas não é verdade. Os estudos internacionais mostram que cada vez mais se morre com sintomas e mal atendimento. As pessoas estão pensando menos no conforto e na qualidade e mais em ter um dia a mais como for, e isso é assustador. É vida a qualquer custo — diz.

Debater o assunto em sala de aula pode contribuir para o esclarecimento em torno dos testamentos vitais. É o que almeja o professor do curso de medicina da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoeste), Élcio Bonamigo, que aplica um modelo experimental em disciplinas de bioética e ética médica na graduação e pós-graduação.

— Nas aulas, tanto os médicos, como os pacientes aceitam bem e atenderiam as vontades. Então essa mudança vai ser rápida. Agora, praticamente todos os alunos de direito, medicina e enfermagem já estão tendo esses conceitos dentro de seus estudos — projeta.

O DOCUMENTO
No testamento vital, os pacientes podem expressar de antemão a quais procedimentos não querem ser submetidos em uma eventual situação de terminalidade no futuro. Veja outros aspectos desse documento abaixo:

O que é?O documento lista as vontades da pessoa em relação aos tratamentos a que pode ou não ser submetida em caso de doença terminal, tais como cirurgias, ventilação mecânica, uso de medicamentos ou reanimação pós-parada cardíaca. Além de impossibilidade de sobrevida, também pode ser feito a fim de garantir o respeito à convicções religiosas, a exemplo dos testemunhas de Jeová, que não recebem transfusão de sangue.

Quem pode fazer?
Diferentemente do testamento comum, o testamento vital é feito em vida. Todas as pessoas com mais de 18 anos podem registrar, desde que ainda tenham condições de se expressar.

Quem garante o cumprimento?
A pessoa pode nomear um representante legal a fim de assegurar o cumprimento de suas intenções quando já não estiver mais bem. Nem mesmo o desejo da família pode prevalecer nesse caso.

Onde é registrado?
No prontuário do paciente, que tem validade legal, ou em cartório a custo médio de R$ 40 em SC.

Há alguma situação em que não haja validade?
Somente se o procedimento em questão infringir códigos de ética dos profissionais de saúde ou se for enxergado como uma possibilidade de cura.

É aplicado em instituições de saúde no país?
Além de pouca informação sobre o testamento vital, profissionais de saúde relatam insegurança jurídica por conta da ausência de uma legislação específica. Então, os poucos registros nem sempre são cumpridos. Atualmente, a resolução do CFM, editada em 2012, ampara somente os médicos.

Existe respaldo no mundo?
Nos Estados Unidos, o testamento vital tem valor legal desde 1970. Portugal aprovou o mesmo documento em 2011.

REGISTROS EM SANTA CATARINA
Desde a criação da resolução do Conselho Federal de Medicina, em 2012, somente 42 testamentos vitais foram registrados em cartórios do Estado. Veja a evolução a cada ano:

2012 – 5
2013 – 6
2014 – 4
2015 – 11
2016 – 8
2017* – 8
*Até outubro

Fonte: Central Notarial de Serviços Eletrônicos Compartilhados (CENSEC)

Link original: http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2017/10/testamento-vital-que-garante-morte-digna-a-pacientes-terminais-ainda-e-pouco-utilizado-em-sc-9966749.html

[Mundo Estranho] Qual a revista de maior circulação no Brasil? E no mundo?


Pergunta do leitor Erácio Rondon, Votuporanga, SP

No Brasil, é a VEJA, com média de circulação superior a 1 milhão de exemplares por semana. Ela é publicada pela Editora Abril, a mesma que faz a MUNDO ESTRANHO (a melhor revista do país, diga-se de passagem).

A Abril também publicou a edição mais vendida da história, a Playboy de dezembro de 1999 com Joana Prado, a Feiticeira, na capa. Ícone do fim dos anos 90, a então assistente de palco do programa H, da Bandeirantes, vendeu 1,2 milhão de exemplares.

No mundo, o posto de revista de maior circulação pertence a A Sentinela, publicação das testemunhas de Jeová com tiragem superior a 40 milhões de exemplares bimestrais. Ela é gratuita e traduzida para 297 idiomas (incluindo libras, a língua brasileira de sinais). Já a revista mais vendida é a americana AARP, sobre estilo de vida para aposentados. Com celebridades mais velhas na capa, ela vende cerca de 23 milhões de exemplares por edição.

(Editora Abril/ Associação Torre de Vigia de Bíblias e Tratados do Brasil/American Association of Retired People/Reprodução)

(Editora Abril/ Associação Torre de Vigia de Bíblias e Tratados do Brasil/American Association of Retired People/Reprodução)

Link original: https://mundoestranho.abril.com.br/cotidiano/qual-a-revista-de-maior-circulacao-no-brasil-e-no-mundo/#

[Meio Norte] Timon sedia série de congressos das Testemunhas de Jeová


Quase 2 mil pessoas estiveram presentes, segundo a organização.

“Não desista!” é o tema do congresso das Testemunhas de Jeová que está acontecendo neste fim de semana no Centro de Convenções Maranhense na cidade de Timon, no Maranhão.

Quase 2000 pessoas estiveram presentes no dia de ontem, sexta (07). A expectativa é que o número de congressistas continue aumentando até o domingo (09).

A série de congresso vai se encerrar no próximo final de semana, nos dias 14, 15 e 16 de julho, portanto, você terá mais uma oportunidade de se beneficiar da inteira programação que o ajudará a persistir, mesmo diante de situações de maus-tratos, idade avançada, imperfeições, vergonha, doenças, perseguição e mesmo a perda de alguém na morte.

“A entrada é franca. É um congresso com opções de programação para todas as idades. Venha, sem dúvida você vai gostar!” – afirmou Paulo Rodrigues, coordenador de mídia do evento.

Link original: https://www.meionorte.com/noticias/timon-sedia-serie-de-congressos-das-testemunhas-de-jeova-321691

[D Notícias] Congresso regional de Testemunhas de Jeová junta 1500 pessoas no Tecnopólo (Portugal)


O Congresso Regional de Testemunhas de Jeová, dedicado ao tema ‘Não desista’, junta entre 1200 a 1500 pessoas, na sua maior parte Testemunhas de Jeová, nas instalações do Madeira Tecnopólo, até amanhã.

No primeiro dia do evento, ontem, foram apresentados 18 discursos e quase duas dezenas de pequenos vídeos, além de um filme que tinha como objectivo fortalecer “a fé dos ouvintes nas promessas da Bíblia para o futuro e mostrar como uma boa relação com Deus pode contribuir para uma vida equilibrada agora”.

Entre hoje e amanhã, cerca de 30 discursos e uns tantos vídeos serão também apresentados.

Um dos pontos altos deste Congresso acontece pelas 12 horas de hoje com a ordenação de quase dezena e meia de novas Testemunhas de Jeová por meio do Baptismo.

Link original: http://www.dnoticias.pt/madeira/congresso-regional-de-testemunhas-de-jeova-junta-1500-pessoas-no-tecnopolo-GH1678976

[180Graus] Testemunhas de Jeová realizarão Congresso com o Tema: Não desista


O evento será realizado no galpão de eventos, no bairro Junco em Picos-PI entre os dias 14, 15 e 16 deste mês. O tema central será: Não desista, e serão discutidos assuntos fundamentais nos dias de hoje: perseverança e esperança.

Todos estão convidados. Pessoas de várias cidades da região estarão presentes. A entrada é grátis e não se fazem coletas.

Local: Galpão de Eventos
End.: Avenida Piauí, 126, Bairro Junco Picos PI.
Datas e horários:
Sexta-feira, 14 de julho de 2017 das 9h20 às 16h50.
Sábado, 15 de julho de 2017 das 9h20 às 16h50.
Domingo, 16 de julho de 2017 das 9h20 às 15h30.

Link original: http://180graus.com/picos/testemunhas-de-jeova-realizarao-congresso-com-o-temanao-desista

[D Notícias] Congresso de Testemunhas de Jeová começa na Sexta-feira (Portugal)


O congresso regional das Testemunhas de Jeová começa esta sexta-feira, sob o tema “Não Desista!”, e dura até Domingo.

À semelhança do que aconteceu em anos anteriores, as Testemunhas de Jeová promovem o encontro, no Madeira Tecnopolo, “uma campanha mundial para convidar pessoalmente o público para estar presente”, lê-se em comunicado: “A entrada do evento é gratuita e não são feitas coletas de dinheiro”, acrescentam.

Neste congresso, a organização espera sala cheia: entre 1550 a 2000 pessoas.

A organização recorda que “cerca de treze milhões de pessoas estiveram presentes no mundo todo nos congressos do ano passado”. Este ano, o programa é dividido em 52 partes será apresentado por via de discursos, entrevistas e vídeos. Além disso, será apresentado um filme com o tema ´Lembre-se da mulher de Ló´, um visionamento distribuído pelos três dias do congresso.

O evento começa às 9h20, nos três dias.

Link original: http://www.dnoticias.pt/madeira/congresso-de-testemunhas-de-jeova-comeca-na-sexta-feira-BH1669517